Mundo

Trump não quer falar com Xi Jinping e sugere 'corte' total das relações

Devido ao tratamento que Pequim deu à pandemia de coronavírus Trump disse que está "muito decepcionado" com a gestão da pandemia por parte do governo chinês

Agência France-Presse
postado em 14/05/2020 13:28
Essa combinação de fotos criada em 14 de maio de 2020 mostra retratos recentes de
O presidente da China, Xi Jinping (R), e o presidente dos EUA, Donald Trump. O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse nesta quinta-feira (14/5) que não quer falar neste momento com seu colega chinês, Xi Jinping, devido ao tratamento que Pequim deu à pandemia de coronavírus, chegando a sugerir que poderia "cortar todas as relações" com a China.

"Tenho uma relação muito boa, mas agora não quero falar com ele", disse Trump à rede Fox Business, assegurando que está "muito decepcionado" com a gestão da pandemia por parte do governo chinês.

Questionado se os Estados Unidos poderiam adotar medidas de retaliação, Trump não deu mais detalhes, mas alertou em tom ameaçador: "Há muitas coisas que poderíamos fazer. Poderíamos fazer coisas. Poderíamos cortar todas as relações".

"Se fizesse isso, o que poderia acontecer?", questionou Trump. "Economizaria 500 bilhões, se cortasse todas as relações", completou.

A tensão entre Estados Unidos e China aumentou nas últimas semanas, devido às trocas de acusações sobre a origem da pandemia de coronavírus, que já causou mais de 300 mil mortes.

Trump afirmou que Pequim ocultou a verdadeira escala do surto, deflagrado no final de 2019 na cidade de Wuhan, centro da China, o que permitiu sua propagação.

O governo chinês nega essa acusação e insiste em que transmitiu todas as informações disponíveis à Organização Mundial da Saúde (OMS) o mais rápido possível.

Trump insistiu nas acusações durante entrevista com a Fox. "Tudo veio da China, e eles deveriam ter impedido", alegou.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação