Publicidade

Correio Braziliense

Vint Cerf, um dos pais da internet, relata ao Correio como foi ter covid-19

A pedido do Correio Braziliense, ele enviou um relato sobre a doença. Leia a seguir:


postado em 23/05/2020 13:17

(foto: AFP / PHILIPPE DESMAZES)
(foto: AFP / PHILIPPE DESMAZES)
Na segunda metade da década de 1970, os norte-americanos Vint Cerf e Bob Kahn desenvolveram o TCP/IP, o protocolo que permite o funcionamento da maior rede de computadores do planeta. Um dos pais da internet e ex-vice-presidente do Google, Cerf, 76 anos, foi testado positivo para covid-19 em março passado. A pedido do Correio Braziliense, ele enviou um relato sobre a doença. Leia a seguir:

"Minha esposa, Sigrid, e eu estivemos em Londres por três vezes em janeiro, fevereiro e março. Acho que contraímos o Sars-CoV-2 no início de março. Nós retornamos à nossa casa, no norte da Virgínia, em 12 de março. Comecei a apresentar os clássicos sintomas de covid-19 em 17 de março: febre de 39 graus, tosse leve, dor de cabeça, calafrios intensos e exaustão. Tudo isso em um prazo de 48 horas. As três semanas seguintes foram de recuperação lenta. Os sintomas em Sigrid eram mínimos, à exceção de uma tosse persistente. 

Durante a recuperação, tentei caminhar em torno do parque ao lado de nossa casa. É uma caminhada de 400m. Na volta, estava exausto e demorei 15 minutos para me recuperar. Ao fim de três semanas, fiz essa mesma caminhada em entre 5 e 8 minutos e não foi preciso um tempo de recuperação. Dessa vez, não experimentei problemas respiratórios. Nenhum de nós precisou ser hospitalizado. Por outro lado, continuava lendo e escutando sobre casos graves e me preocupando se iríamos pelo mesmo rumo. Acho que sofri mais pela preocupação do que pela própria doença. 

Tivemos grandes dificuldades para realizar a testagem. Não nos deixaram testar em nosso país e em uma nação vizinha porque os médicos e enfermeiras não tinham equipamentos de proteção individual nem os kits de diagnóstico. Finalmente, conseguimos fazer os testes em uma clínica de Washington DC. Tivemos de pagar por isso.

A covid-19 é uma doença perniciosa. Ela se espalha rapidamente por meio do ar e do contato físico. Apesar de os alvos primários serem os pulmões, há amplas evidências de que também pode causar coágulos sanguíneos capazes de levar a derrame em pessoas jovens. Há sólidas evidências de que também pode levar à doença de Kawasaki, uma inflamação dos vasos sanguíneos, em crianças. Também está muito claro que, em estágios iniciais da doença, os pacientes são assintomáticos e podem transmitir o vírus, mesmo sem saber. Em graves casos, o próprio sistema imunológico pode provocar uma reação exagerada causando vários problemas sérios que pouco têm a ver com o alvo primário do vírus (os pulmões) e potencialmente afetar outros órgãos do corpo. 

Há indicação de que esse vírus se reproduz de maneira mais confiável do que outros coronavírus. Por isso, pode não sofrer mutações tão rapidamente.  Também há algumas indicações, apesar de inadequadas, de que você pode ter alguma imunidade por um período de meses ou de poucos anos. Não temos sobreviventes há dois anos para testar, então, isso é uma hipótese!

É provável que uma vacina seja encontrada, o remdesivir é um candidato favorito nesse momento. O que não está claro é por quanto tempo a vacina pode conferir imunidade. A temporada de gripe exige doses anuais,pois os vírus da gripe se modificam facilmente. Ainda não sabemos o bastante sobre o novo coronavírus para fazer previsões confiáveis sobre sua taxa de disseminação e de letalidade."

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade