Publicidade

Correio Braziliense

Cisjordânia reabre Basílica da Natividade em Belém

A Basílica da Natividade é considerada o lugar de nascimento de Jesus


postado em 26/05/2020 09:12 / atualizado em 26/05/2020 13:33

Um adorador cristão acende velas na Igreja da Natividade de Belém, após sua reabertura, quando as autoridades palestinas diminuíram as restrições aos coronavírus na Cisjordânia ocupada.(foto: Musa Al SHAER / AFP)
Um adorador cristão acende velas na Igreja da Natividade de Belém, após sua reabertura, quando as autoridades palestinas diminuíram as restrições aos coronavírus na Cisjordânia ocupada. (foto: Musa Al SHAER / AFP)
A basílica da Natividade de Belém, lugar de nascimento de Jesus segundo a tradição cristã, reabriu nesta terça-feira (26/5) após permanecer fechada por mais de dois meses devido à pandemia do novo coronavírus.

Vários sacerdotes de diferentes religiões cristãs observaram esta manhã a abertura das portas da basílica nessa cidade da Cisjordânia, território palestino ocupado por Israel, constatou um fotógrafo da AFP.

Em uma breve cerimônia, os clérigos seguraram a chave do edifício antes de entrar para rezar, acompanhados por alguns fiéis.

A igreja havia sido fechada em 5 de março, quando foi detectado um foco de contágio da covid-19 em Belém.

"A reabertura da basílica da Natividade dá ao mundo a esperança de que essa pandemia chegue ao fim", declarou à AFP Rola Maaya, ministro palestino do Turismo e Antiguidades. 

"Esperamos que a igreja continue acolhendo milhões de fiéis, como antes do confinamento, e lhes dê esperança após o final desta epidemia de covid-19", acrescentou.

Inicialmente, apenas 50 pessoas poderão entrar no templo ao mesmo tempo e os visitantes deverão usar máscara e respeitar a distância física, segundo uma declaração conjunta das igrejas que controlam o local.

É proibido beijar ou tocar nas pedras, incluindo as da gruta onde os cristãos acreditam que Jesus nasceu.

No início de março, turistas gregos, infectados pelo vírus, visitaram Belém e a Basílica da Natividade, criando um foco de infecção na cidade e obrigando as autoridades da basílica a desinfectar o local.

O governo palestino tomou medidas rápidas para evitar a propagação do vírus.

Durante a abertura da basílica, o sacerdote Imad Kamel declarou à AFP que era necessário "dar graças à Deus por ter protegido nossa população dessa pandemia, que adoeceu tantas pessoas no mundo". 

Na segunda-feira, o governo palestino suspendeu o bloqueio de dois meses imposto na Cisjordânia para conter a propagação do coronavírus, depois de uma diminuição constante do número de novos casos de covid-19.

Em Jerusalém, a igreja do Santo Sepulcro, construída no lugar onde Jesus foi crucificado e sepultado, segundo a tradição cristã, reabriu parcialmente nestes últimos dias, depois de seu fechamento em 25 de março.

A porta principal da igreja permanece fechada para evitar aglomerações, mas grupos de fiéis podem entrar em coordenação com as autoridades religiosas que controlam o local, disse um funcionário da igreja.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade