Publicidade

Correio Braziliense

Peru supera os 190 mil casos de covid-19 com escassez de oxigênio

O governo anunciou que fará compras e importará oxigênio para solucionar o desabastecimento


postado em 06/06/2020 19:10

As pessoas fazem fila para reabastecer seus cilindros de oxigênio vazios em Callao, Peru(foto: ERNESTO BENAVIDES/AFP)
As pessoas fazem fila para reabastecer seus cilindros de oxigênio vazios em Callao, Peru (foto: ERNESTO BENAVIDES/AFP)
Lima, Peru - O Peru, segundo país da América Latina com mais contagiados pela covid-19, superou neste sábado (6) os 190.000 casos confirmados, em meio a uma escassez de oxigênio para pacientes graves em seus hospitais, informou o ministério da Saúde. A cifra oficial de mortos subiu para 5.301, um aumento de 139 nas últimas 24 horas, enquanto os contagiados somaram 191.758, com 4.358 novos casos, segundo o balanço mais recente das autoridades sanitárias.

O Peru é o segundo país da América Latina em casos de coronavírus depois do Brasil e o terceiro em número de óbitos, depois do Brasil e do México. Nos hospitais peruanos há 9.500 pacientes com covid-19, segundo o balanço, o que coloca o sistema de saúde à beira do colapso e com uma escassez aguda de oxigênio médico para tratar os doentes graves, razão pela qual foi declarado "recurso estratégico" pelo governo na quinta-feira.

Segundo fontes do Ministério da Saúde, o Peru enfrenta um déficit de até  8.000 balões de oxigênio médico e as fábricas que o produzem foram sobrecarregadas pela crise, o que também desatou uma alta especulativa nos preços do produto. O governo anunciou que fará compras e importará oxigênio para solucionar o desabastecimento.

"Cuidem-se, tomem todos os cuidados, não é o momento de adoecer. Hoje, menos do que antes, não é o momento de adoecer porque o nosso sistema de saúde está muito impactado", disse à imprensa o ministro da Saúde, Víctor Zamora. O Peru, com 33 milhões de habitantes, está há 83 dias em confinamento nacional obrigatório, sob um toque de recolher noturno e com as fronteiras fechadas.

Lima e o vizinho porto de Callao, onde vive um terço da população peruana, acumulam 70% dos contágios. O confinamento deixou 4 em 10 peruanos sem renda, segundo um estudo do instituto Ipsos.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade