Mundo

''O meu amigo mudou o mundo'', diz Mallory sobre George Floyd

George Floyd é sepultado em Houston, após cerimônia transformada em protesto contra o racismo. Amigos do cidadão negro morto por policial branco falam ao Correio. O democrata Joe Biden discursa, e o reverendo Al Sharpton exige justiça

Rodrigo Craveiro
postado em 10/06/2020 06:00
O caixão dourado com o corpo de George Floyd é levado ao interior da Igreja Fonte de Louvor, em Houston: despedida reuniu uma multidãoDuas semanas depois de ser morto pelo policial branco Derek Chauvin, que pressionou-lhe o pescoço com o joelho por 8 minutos e 46 segundos, em Minneapolis, o cidadão afro-americano George Floyd foi sepultado, ontem, no cemitério Houston Memorial Gardens, em um jazigo ao lado do corpo da mãe. Antes, a última cerimônia fúnebre atraiu milhares de moradores de Houston, cidade do Texas onde George cresceu. O velório, na Igreja Fonte de Louvor, se transformou em um ato político e de resistência contra o racismo. Em um símbolo de paz, todos os familiares de Floyd vestiam branco. Como medida de prevenção contra a pandemia do novo coronavírus, apenas 500 pessoas puderam acompanhar as exéquias dentro da igreja.

Joe Biden, candidato democrata à Casa Branca, gravou um discurso transmitido em um telão do templo. ;Nenhuma criança deveria perguntar aquilo que tantas crianças negras tiveram que se perguntar por gerações: ;Por que, por que papai se foi?; (;) Agora é hora de justiça racial. Essa é a resposta que devemos dar aos nossos filhos quando eles nos perguntam o porquê. Porque, quando houver justiça para George Floyd, estaremos realmente no caminho da justiça racial na América;, declarou. ;Não podemos sair deste momento pensando que podemos, mais uma vez, nos afastar do racismo que fere a nossa alma.; O ex-presidente Barack Obama retuitou o vídeo do ex-vice, atingindo quase 120 milhões de seguidores.

O reverendo e ativista dos direitos civis Al Sharpton voltou a ser o centro das atenções e também exigiu justiça. ;Vidas como a de George (Floyd) não terão importância até que alguém pague o preço por tê-las tirado;, afirmou. Ele propôs uma reflexão: ;Se quatro policiais negros tivessem feito a um branco o que foi feito a George, (;) eles os mandariam para a cadeia;. Al Sharpton ressaltou que o incidente em Minneapolis ;não foi apenas uma tragédia;. ;Foi um crime. Esta família suportou isso;, disse.

O ativista criticou a falta de empatia do presidente Donald Trump. ;Quando alguns garotos iniciam indevidamente a violência que essa família não tolera, o presidente fala em trazer o Exército. Mas ele não disse uma só palavra sobre os 8 minutos e 46 segundos do assassinato policial de George Floyd.; A morte do afro-americano desencadeou os maiores protestos ocorridos nos Estados Unidos em 52 anos. Brooke Williams, sobrinha de Floyd, pediu mudança na legislação que combate os crimes de ódio. ;Por que o sistema deve ser corrupto e falido? Leis criadas para o sistema afro-americano com a intenção de fracassarem. Não mais crimes de ódio, por favor!”, afirmou, sem conter as lágrimas.

;Reação atrasada;


O socorrista Mallory Jackson (leia Depoimentos), 44 anos, conhecia George Floyd desde os 11. Ontem, ele foi até a Igreja Fonte de Louvor para se despedir do amigo. ;A morte de Floyd acendeu o fogo necessário para fazer com que esse governo se submeta a uma verificação e monitore os departamentos de polícia. Também realize uma grande reforma e se livre de oficiais corruptos;, afirmou ao Correio. ;Não estamos na década de 1950. Você não pode assassinar um homem em plena luz do dia! Foi realmente incrível o fato de os protestos antirracismo terem se espalhado pelos EUA. Foi uma reação muito atrasada, porém, bastante necessária;, acrescentou.

Ele disse esperar que o mundo passe a respeitar as vidas dos negros e entenda que todas as vidas importam. ;A vida de um animal não deveria ter mais valor do que a de um homem negro ou de qualquer outro homem;, desabafou. Mallory contou ter ficado impressionado, porém, não surpreso, com a mobilização em Houston nas homenagens a Floyd. ;O modo com que os moradores da cidade e pessoas de longe vieram e formaram filas pelas ruas para dizerem ;adeus; foi inacreditável.;

Diretor do câmpus do Houston Community College e cientista político, Donnell Cooper, 44, também mantinha sólida amizade com Floyd desde 1993. Para ele, a morte do amigo e colega de escola foi um ;crime de ódio desinteressado, que os EUA jamais esquecerão;. ;O meu país está cansado. Crimes assim ocorreram tantas vezes ao longo da história. Nós exigimos justiça;, disse ao Correio. ;Eu sinto que esse movimento permitirá à história mudar todo o mundo. George tem um apelo indocumentado sobre a própria vida. Aos 46 anos, todos os norte-americanos conhecerão o nome George Floyd;, aposta. Um caso da covid-19 em sua família impediu-o de participar dos funerais. Cooper acompanhou tudo pela tevê. ;O que mais me impressionou foi que todos os olhos dos EUA se detiveram para celebrar a vida de George.;

O assassinato flagrado por câmeras e as manifestações que se espalharam pelos Estados Unidos levaram a Câmara dos Representantes a apresentar um projeto de lei para punir crimes policiais. ;Reformas assim devem surtir impacto positivo sobre o estado da polícia e podem reduzir casos de abusos. Poucos estudos avaliaram o impacto das leis de transparência policial nos resultados sociais. Mas, creio que essas reformas, atreladas a transformações locais, levarão a melhorias;, admitiu ao Correio Jack Mewhirter, professor de ciência política da Universidade de Cincinnati (Ohio).

Depoimentos

;O meu amigo mudou o mundo;

rosto de um homem sobre parede pintada

;Floyd era meu amigo!! Ele foi um ótimo irmão, colega e companheiro de time, além de ótima pessoa. Ele nada queria a não ser o amor e o melhor para aqueles ao seu redor!! Ele não era perfeito, mas aquele que nunca pecou que atire a primeira pedra!! Nós nos conhecíamos desde 1987. Fomos colegas no ensino médio, na escola James D. Ryan, e também nos formamos, em 1993, na Jack Yates High School. Por termos crescido juntos, na comunidade de Third Ward, vimos muito racismo de parte da polícia e mesmo de alguns empresários da cidade.

Para mim, foi algo emotivo acompanhar o funeral, hoje (ontem), aqui em Houston. Era meu amigo que estava ali para todo o mundo ver. Porque ele mudou o mundo!! E isso é algo grande!! Cada homem deseja deixar um rico legado e sua marca no mundo!! George fez isso!!” Mallory Jackson, 44 anos, socorrista, morador de Houston e amigo de George Floyd.


;Nós celebramos o seu legado;

;George era um grande homem e um pilar em nossa comunidade de Third Ward, aqui em Houston. Minhas memórias de George Floyd remontam ao início da década de 1990. Nós estudamos na mesma escola, a Jack Yates High School. George era da turma de 1993; eu pertencia à turma do ano seguinte. Nós jogávamos basquete juntos. No entanto, George sempre foi conhecido como o maior ;tight end; (posição de ataque, misto de recebedor e bloqueador) da equipe de futebol americano do campeonato estadual.

Ele sempre compartilhou com gerações mais jovens que seguiam seus passos sobre a importância de você caminhar pelo bem e tentar o seu melhor, para viver a vida ao máximo. George não era perfeito, mas nenhum homem o é. Agora, nós celebramos sua vida e seu legado. Nenhum homem jamais foi capaz de reunir todos os 50 estados norte-americanos e 18 países ao mesmo tempo.; Donnell Cooper, 44 anos, é diretor do câmpus do Houston Community College, professor de governo e amigo de George Floyd.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação