Mundo

Conselho de Segurança da ONU: sete candidatos para cinco vagas

Conselho de Segurança tem 15 membros: cinco deles permanentes (EUA, China, Grã-Bretanha, França e Rússia) e 10 não permanentes, renovados de cinco em cinco todos os anos

Agência France-Presse
postado em 17/06/2020 17:37
Sala de reunião do Conselho de Segurança da ONU em Nova York, em 20 de setembro de 2017A Assembleia Geral da ONU começou a votar nesta quarta-feira (17) cinco membros não permanentes do Conselho de Segurança para 2021 e 2022, em uma eleição na qual Djibuti e Quênia se enfrentam por um assento, e Canadá, Noruega e Irlanda disputam outros dois.

Para a região da América Latina e Caribe, o México tem a vaga assegurada como candidato único, a mesma situação da Índia para o grupo Ásia-Pacífico.

Como aconteceu em oportunidades anteriores, a África não conseguiu, porém, apresentar apenas um candidato para a cadeira que corresponde ao continente.

Enquanto o Quênia afirma que tem o apoio da União Africana, Djibuti alega ter prioridade em função de um princípio de rodízio e porque Nairóbi já integrou o Conselho mais vezes.

Em suas campanhas, os países rivais - diferentes também pelo idioma, inglês e francês - destacaram suas ações para garantir a paz na região conturbada do Chifre da África.

O Quênia destacou sua recepção aos refugiados somalis e do sul do Sudão, assim como o apoio aos governos dos países afetados. Djibuti, com uma situação geográfica estratégica e que tem bases militares americana, francesa, chinesa e japonesa, também ressalta seu papel para pacificar a Somália.

O grupo da Europa ocidental e outros, que está acostumado à disputa, observa o embate entre Canadá, Irlanda e Noruega por duas cadeiras.

Em sua última tentativa, em 2010, o Canadá sofreu uma dura derrota para Portugal. Um novo revés pode ter consequências políticas para o primeiro-ministro Justin Trudeau.

"Em momentos em que grandes países estão se afastando um pouco do cenário global, acredito profundamente que o Canadá pode e deve avançar no cenário mundial", disse Trudeau nesta quarta.

Para o Canadá, ocupar um assento no Conselho de Segurança é uma oportunidade "de construir uma paz uma paz sustentável e fazer progressos reais nas questões importantes", acrescentou, citando "ar puro e uma economia e sociedade mais justas".

Cada um dos 193 membros da ONU está convidado a depositar o voto nesta quarta-feira em uma urna, de acordo com um horário previamente estabelecido.

Para obter uma cadeira no Conselho é necessária a maioria de dois terços, ou seja, 128 votos em caso de participação dos 193 membros das Nações Unidas. Não está descartada a possibilidade de várias rodadas de votação em meio a uma disputa acirrada entre os candidatos.

O Conselho de Segurança tem 15 membros: cinco deles permanentes (EUA, China, Grã-Bretanha, França e Rússia) e dez não permanentes, renovados de cinco em cinco todos os anos.

Na eleição desta quarta-feira, os membros da Assembleia Geral também devem escolher o próximo presidente para a sessão 2020-2021. Apenas um candidato está na disputa, o ex-ministro e diplomata turco Volkan Bozkir.

Recentemente, porém, Grécia, Armênia e Chipre expres

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação