Mundo

EUA suspenderá vistos de estudantes estrangeiros que estão com aula virtual

O Departamento de Imigração e Alfândega dos Estados Unidos indicou num comunicado que os estudantes com vistos F-1 e M-1 cujas unidades de ensino operam apenas online ''devem sair do país ou tomar outras medidas, como a transferência para uma escola com instrução presencial''

Agência France-Presse
postado em 06/07/2020 21:36
 (foto: SAUL LOEB / AFP)
(foto: SAUL LOEB / AFP)
O  Departamento de Imigração e Alfândega dos Estados Unidos indicou num comunicado que os estudantes com vistos F-1 e M-1 cujas unidades de ensino operam apenas online ''devem sair do país ou tomar outras medidas, como a transferência para uma escola com instrução presencial''Os Estados Unidos anunciaram nesta segunda-feira (6) que suspenderão vistos para estudantes estrangeiros cujas aulas sejam transferidas para um formato virtual devido à pandemia de COVID-19.

O presidente Donald Trump - que está buscando a reeleição em novembro - tem um discurso contra a imigração irregular e recentemente suspendeu a maioria dos vistos de imigração, afirmando que dessa maneira protege o emprego dos americanos da crise causada pelo coronavírus.

O Departamento de Imigração e Alfândega dos Estados Unidos indicou num comunicado que os estudantes com vistos F-1 e M-1 cujas unidades de ensino operam apenas online "devem sair do país ou tomar outras medidas, como a transferência para uma escola com instrução presencial".

Caso contrário, os estudantes correm o risco de serem expulsos.

[SAIBAMAIS]De acordo com o novo regulamento, quando os estudantes estiverem em um centro com um modelo misto, eles terão que provar que estão matriculados no número máximo de cursos presenciais para preservar seu visto.

- Não será permitida a entrada no país -
O ICE indicou que o Departamento de Estado "não emitirá vistos de estudante para pessoas afiliadas a programas totalmente on-line para os semestres do outono" (no hemisfério norte) e que esses estudantes não terão permissão para entrar no país.

Os Estados Unidos - o país com mais mortes por coronavírus no mundo, com mais de 130.000 óbitos - também suspenderam até o final de 2020 a entrega de vistos de trabalho para proteger o emprego.

Muitas universidades e centros de ensino não retomarão as aulas presenciais quando o próximo ano letivo começar em setembro, enquanto ainda não há vacina contra o COVID-19 e os casos estão aumentando devido ao aumento de infecções no sul e no oeste do país.

No ano acadêmico de 2018 e 2019, havia mais de um milhão de estudantes estrangeiros nos Estados Unidos, de acordo com o Instituto de Educação Internacional (IIE).

Isso representa 5,5% do total de estudantes de ciclos mais altos do país, indicou o IIE que estimou que essa população contribuiu com 44,7 bilhões de dólares para a economia americana em 2018.

O maior número de estudantes vem da China, seguido pela Índia, Coreia do Sul, Arábia Saudita e Canadá.

Um estudo publicado pelo Journal of the American Medical Association mostrou que o número de médicos de países principalmente muçulmanos que viajaram para os Estados Unidos para prosseguir seus estudos caiu 15% durante o governo Donald Trump.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação