Mundo

Covid: Hong Kong reforça medidas de isolamento social após aumento de casos

O uso de máscaras voltou a ser obrigatório em todos os locais públicos e funcionários de serviços não essenciais devem voltar a trabalhar em casa

Agência Estado
postado em 19/07/2020 11:04
O uso de máscaras voltou a ser obrigatório em todos os locais públicos e funcionários de serviços não essenciais devem voltar a trabalhar em casa Hong Kong está reforçando medidas de controle do novo coroanvírus após um aumento recente do número de casos. O uso de máscaras voltou a ser obrigatório em todos os locais públicos e funcionários de serviços não essenciais devem voltar a trabalhar em casa. A líder de Hong Kong, Carrie Lam, apresentou as medidas neste domingo, afirmando que a situação do centro financeiro asiático é "realmente crítica" e que não vê "nenhum sinal" de que a doença esteja sob controle.

Viajantes que voam para Hong Kong de áreas onde o risco de infecção é considerado grave terão de mostrar um teste negativo de covid-19 antes de embarcar em seu voo, fazer outro teste na chegada e fazer uma quarentena de 14 dias em um hotel. Anteriormente, aqueles que chegavam na província podiam fazer a quarentena em casa. Os países incluídos no novo regulamento são Bangladesh, Índia, Indonésia, Nepal, Paquistão, Filipinas e África do Sul.

Hong Kong parecia ter contido em grande parte o coronavírus, mas novos casos relatados na semana passada elevaram o total da cidade para 1.777, incluindo 12 mortes. A China, que administra Hong Kong como região semi-autônoma, recomendou que todas as pessoas que cheguem de Hong Kong fiquem em quarentena por duas semanas, reduzindo drasticamente o volume de tráfego transfronteiriço.

A China informou que novos 13 casos confirmados de coronavírus foram relatados na cidade de Urumqi, no noroeste do país, aumentando o total no surto local mais recente do país para pelo menos 30.
Outros três casos foram trazidos para o país do exterior, aumentando o número total de casos confirmados da China para 83 660, com 4.634 mortes relatadas. O surto de Urumqi é o mais recente a surgir, já que a China continha em grande parte a disseminação doméstica do vírus em março.

Na Índia, aumento recorde de 38.902 novos casos foram identificados nas últimas 24 horas, elevando o total de infectados para 1.077.618. Neste domingo, o Ministério da Saúde também registrou 543 mortes, elevando o número de óbitos para 26 816. A taxa de recuperação da doença no país é de 62,82%. Especialistas dizem que a Índia provavelmente testemunhará uma série de picos devido à infecção estar se disseminando em áreas rurais.

A Coreia do Sul registrou menos de 40 novos casos de covid-19 pelo segundo dia consecutivo. O Centro de Controle e Prevenção de Doenças da Coreia disse neste domingo que relataram 34 novos casos adicionais, elevando o total do país para 13.745, com 295 mortes.
A agência diz que 21 dos casos confirmados recentemente foram infectados internamente e que os outros 13 casos foram importados do exterior.

(Com informações de agências internacionais)

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação