Mundo

Polícia ouve voluntário

Responsável por fechar a Catedral de São Pedro e São Paulo na noite anterior ao incêndio é levado sob custódia e depois liberado. Investigadores buscam esclarecer %u201Celementos do cronograma%u201D do homem após sair do prédio

postado em 20/07/2020 04:18
Peritos trabalham em uma fachada da catedral: identificados três focos de incêndio dentro do prédio, que não tem sinais de invasão

Um voluntário da Catedral de São Pedro e São Paulo, em Nantes, no oeste da França, foi ouvido por policiais que investigam o incêndio que atingiu o prédio em estilo gótico na manhã de sábado. O homem foi o responsável por fechar a catedral na sexta-feira à noite. Segundo Pierre Senn;s, promotor de Nantes, a intenção dos investigadores é checar as condições do local no momento em que foi fechado e ;esclarecer certos elementos do cronograma; do voluntário depois que ele deixou o local.


De acordo com o jornal Le Monde, o homem, que não teve o nome divulgado, tem 39 anos e é de nacionalidade ruandesa. Ele foi levado sob custódia na tarde de sábado e liberado na noite de domingo. Segundo Senn;s, o homem não é tratado como suspeito. ;Qualquer interpretação que possa implicar essa pessoa na prática dos fatos é prematura e precipitada;, ressaltou Senn;s.


A investigação foi iniciada logo após as chamas serem contidas pelos bombeiros, e surgiu uma série de fatores que sinalizam que o incêndio pode ter sido criminoso. Já no sábado, o promotor informou que não havia vestígio de invasão no nível do acesso externo da catedral. Segundo o padre Hubert Champenois, reitor da catedral, ;tudo estava em ordem; na sexta-feira à noite. ;Todas as noites, antes de fechar, é realizada uma inspeção muito precisa;, contou.


A detecção de três focos de incêndio dentro do prédio e em pontos separados intensifica as suspeitas. ;Entre o grande órgão, que fica na fachada do primeiro andar, e os outros focos, há uma distância substancial;, afirmou Senn;s. O espaço em que fica o órgão musical foi o mais destruído. Segundo os bombeiros, a plataforma na qual ele se encontra é muito instável e ameaça desmoronar. Também foram danificados uma pintura do século 19 de Hippolyte Flandrin e vitrais na fachada, alguns deles vestígios de vitrais do século 16.

Reconstruída

A construção da catedral, em estilo gótico extravagante, durou de 1434 a 1891. As torres foram erguidas em 1508, com altura de 63 metros. O incêndio do fim de semana não foi o primeiro a atingir a construção. Em 1972, o telhado da catedral foi danificado pelo fogo. As missas só foram retomadas em maio de 1985, após mais de 13 anos de obras de reconstrução.


O incidente reacendeu entre os franceses memórias dolorosas da tragédia ocorrida na catedral de Notre-Dame de Paris, em 15 de abril do ano passado. Um incêndio violento, com duração de 14 horas, engoliu tesouros artísticos e religiosos presentes na construção que começou a ser erguida no século 12. Apesar de os estragos causados na catedral de Nantes serem, aparentemente, menores, o administrador diocesano, padre François Renaud, responsável pela catedral, classificou as perdas como ;inestimáveis;.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação