Mundo

Sob pressão, Nova York desmonta acampamento de manifestantes anti-racismo

A polícia, acompanhada de advogados e funcionários da limpeza, chegou ao acampamento antes do amanhecer para desmontar as tendas e expulsar cerca de 50 pessoas do local

Agência France-Presse
postado em 22/07/2020 16:15
A polícia, acompanhada de advogados e funcionários da limpeza, chegou ao acampamento antes do amanhecer para desmontar as tendas e expulsar cerca de 50 pessoas do localSob pressão do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, Nova York pôs fim nesta quarta-feira (22) a um acampamento de manifestantes contra o racismo e a violência policial, que estava instalado desde junho em frente à Prefeitura. Trump ameaçava enviar tropas federais à cidade para restaurar a ordem.

A polícia, acompanhada de advogados e funcionários da limpeza, chegou ao acampamento antes do amanhecer para desmontar as tendas e expulsar cerca de 50 pessoas do local. Não houve confrontos ou feridos, de acordo com o chefe da polícia de Nova York, Dermot Shea, em coletiva de imprensa.

O prefeito democrata Bill de Blasio, defensor dos protestos pela morte de George Floyd, homem negro que foi morto nas mãos de um policial branco em Minneapolis em 25 de maio, disse que a retirada do acampamento "Occupy City Hall" foi cuidadosamente planejada.

[SAIBAMAIS]"Nas últimas semanas, o número de manifestantes diminuiu, houve cada vez menos protestos e mais concentração de pessoas sem-teto", afirmou. "Era hora de agir."

A pressão dos vizinhos para encerrar o acampamento se somou à ameaça de Trump de enviar agentes federais para a cidade, como fez na semana passada em Portland, Oregon. De Blasio diz que pode processar o governo federal se isso acontecer.

Há também, porém, pressão do governador democrata do estado de Nova York, Andrew Cuomo, que na quarta-feira disse estar "muito perturbado" pelo aumento do crime e outros sinais de "declínio" da metrópole, que foi atingida duramente pela pandemia do coronavírus. Os tiroteios aumentaram em quase 61% na cidade este ano e os assassinatos, em 23%, segundo os dados policiais mais recentes.

O governador disse que conversou com Trump na terça-feira para pedir que ele não enviasse agentes federais para Nova York e garantir que ele próprio agiria, se necessário.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação