Mundo

Homenagens a falecido ativista norte-americano John Lewis continuam

A homenagem foi realizada no momento em que o movimento "Black Lives Matter" protagoniza protestos em todo o país contra o racismo e a brutalidade policial

Agência France-Presse
postado em 26/07/2020 16:59
Homenagens para honrar o ativista dos direitos civis e legislador da Geórgia John LewisWashington, Estados Unidos - As homenagens para honrar o ativista dos direitos civis e legislador da Geórgia John Lewis, falecido em 17 de julho aos 80 anos, continuaram neste domingo (26) no Alabama. Este é o segundo de seis dias de honras. Em uma cerimônia simbólica, o caixão de Lewis foi guiado por dois cavalos pretos através da ponte Edmund Pettus Bridge na cidade de Selma, Alabama, onde em 1965 um policial fraturou o seu crânio durante um protesto que ajudou a forjar sua reputação de corajoso líder dos direitos civis.

A homenagem foi realizada no momento em que o movimento "Black Lives Matter" (As vidas negras importam) protagoniza protestos em todo o país contra o racismo e a brutalidade policial. A procissão deste domingo foi saudada por uma linha de policiais uniformizados do Alabama, uma recepção muito distinta da que teve na marcha de 7 de março de 1965, quando um policial atingiu a cabeça de Lewis com um cassetete e quase o matou.

Aquela marcha, conhecida posteriormente como "Domingo Sangrento", foi um ponto de inflexão no movimento de defesa dos direitos civis. Lewis, então presidente do Comitê Não Violento de Coordenação Estudantil, liderou centenas de manifestantes através da ponte juntamente com o ativista Hosea Williams.

[SAIBAMAIS]Quando a polícia ordenou que fossem dispersados, os manifestantes se ajoelharam para rezar. Os policiais então usaram seus cassetetes contra eles. O caixão com o corpo de Lewis foi posteriormente transferido por um guarda militar de honra para um carro funerário, para uma procissão que percorreu a cidade de Montgomery antes de chegar ao Capitólio do Estado, onde o público aguardava para homenageá-lo.

As homenagens continuarão na segunda-feira no Congresso em Washington, onde Lewis será velado até a noite de terça-feira, uma honra que raramente acontece. O titular da Câmara dos Representantes, Nancy Pelosi, disse à CBS que Lewis "compartilhará desse lugar de descanso com Abraham Lincoln", o homem que pôs fim a escravidão dos Estados Unidos.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação