Mundo

Israel diz ter evitado infiltração terrorista na fronteira com o Líbano

A tentativa de infiltração de uma célula terrorista em Israel foi impedida pelo exército na fronteira com o Líbano

Agência France-Presse
postado em 27/07/2020 11:48
 (foto: JALAA MAREY / AFP)
(foto: JALAA MAREY / AFP)
Veículos blindados e obus autopropulsados de 155 mm são implantados na Alta Galiléia, no norte de Israel, na fronteira com o Líbano em 27 de julho de 2020.O Exército israelense declarou, nesta segunda-feira (27/7), que frustrou "uma tentativa de infiltração de uma célula terrorista" na fronteira norte com o Líbano, depois de relatar combates na região.

"Conseguimos frustrar com sucesso uma tentativa de infiltração de uma célula terrorista em Israel", disse Jonathan Conricus, porta-voz do Exército israelense, acrescentando que "teve a confirmação visual de que os terroristas retornaram ao Líbano".

Em uma declaração em hebraico, o Exército disse que "terroristas avançaram alguns metros além da Linha Azul (separando Israel do Líbano) e as forças de segurança abriram fogo".

Conricus já havia indicado no Twitter que "combates" estavam "em andamento na região do Monte Dov", em referência a uma encosta do Monte Hermon, há muito reivindicada pelo Líbano, que chama a área de "fazendas Shebaa".

A Unifil, a força de paz da ONU no sul do Líbano, pediu "o máximo de contenção", após os relatos de confrontos na fronteira, especificando em um breve comunicado que os disparos haviam cessado.

Assegurando ter visto colunas de fumaça na zona, um correspondente da AFP relatou dezenas de ataques de artilharia israelense no Monte Dov.

A ONU considera que essa área faz parte das Colinas de Golã sírias, ocupadas por Israel desde 1967.

Correspondentes da AFP em ambos os lados da fronteira relataram explosões.

O movimento xiita do Hezbollah negou qualquer envolvimento em confrontos com Israel nesta segunda-feira.

"Até agora a resistência islâmica não participou de nenhum confronto, não abriu fogo durante os eventos do dia", afirmou o Hezbollah em comunicado. "Tudo o que a mídia inimiga relata sobre uma operação de infiltração no Líbano que teria sido frustrada ... é totalmente falso", acrescentou.

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, afirmou hoje que o Hezbollah "brinca com fogo".

"O Hezbollah e o governo libanês são responsáveis por qualquer ataque que saia do território" libanês, declarou Netanyahu em coletiva de imprensa. "O Hezbollah brinca com fogo, nossa reação será forte", alertou.

Esses incidentes ocorrem no dia seguinte à queda de um drone israelense no Líbano e após o fortalecimento da presença de forças israelenses na fronteira, em um cenário de tensões com o movimento armado libanês Hezbollah, muito presente no sul do Líbano.

O Exército israelense disse na semana passada que "elevou seu nível de preparação contra várias ações inimigas em potencial".

Israel está tecnicamente em guerra com os vizinhos Síria e Líbano. O Hezbollah e o Irã, outro inimigo de Israel, apoiam militarmente o regime na Síria em guerra.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação