Mundo

Washington DC impõe medidas de quarentena a viajantes de 27 estados dos EUA

Os visitantes desses estados terão que ficar em casa ou no hotel onde se hospedarão e poderão sair apenas para consultas médicas obrigatórias ou para comprar alimentos

Agência France-Presse
postado em 27/07/2020 13:31
Duas pessoas tiram fotos perto das barreiras de segurança configuradas para a exibição pública no dia do ex-representante John Lewis (D-GA) em Washington, DC, em 27 de julho de 2020.As pessoas que visitarem Washington DC procedentes de 27 estados dos Estados Unidos considerados "de alto risco" pela prevalência do coronavírus terão que ficar em quarentena por duas semanas, disse nesta segunda-feira a prefeita da capital dos EUA.

"A partir de hoje, segunda-feira 27 de julho, qualquer pessoa que entrar em Washington DC vinda de um estado de alto risco (dentro dos 14 dias anteriores) em uma viagem para atividades não essenciais deverá ficar em quarentena por 14 dias a partir de sua chegada ao distrito", disse a prefeita Muriel Bowser.

Um estado de "alto risco" é aquele em que a média móvel de sete dias de novos casos diários de covid-19 é de 10 ou mais a cada 100 mil pessoas, afirmou o gabinete da prefeita.

Os visitantes de Maryland e Virgínia, estados vizinhos de Washington DC, estão isentos desta regra.

A lista inclui Arkansas, Arizona, Alabama, Califórnia, Carolina do Norte, Carolina do Sur, Dakota do Norte, Delaware, Flórida, Georgia, Idaho, Iowa, Kansas, Luisiana, Mississipi, Misuri, Montana, Nebraska, Nevada, Novo México, Ohio, Oklahoma, Tennessee, Texas, Utah, Washington, e Wisconsin.

Os visitantes desses estados terão que ficar em casa ou no hotel onde se hospedarão e poderão sair apenas para consultas médicas obrigatórias ou para comprar alimentos.

"O turismo de ou para áreas de alto risco sem quarentena põe em perigo os habitantes da capital e pode ser um fardo para os hospitais locais", justificou a prefeita democrata em seu decreto. Na quarta-feira passada, ela já havia ordenado o uso obrigatório de máscaras ao sair de casa.

Por outro lado, Bowser disse que as pessoas que retornarem à capital americana vindas de estados de alto risco depois de uma viagem essencial, ou que chegarem ao distrito para uma viagem essencial, "devem autogerenciar os sintomas por 14 dias".

"E se apresentarem sintomas, devem ficar em quarentena e procurar acompanhamento médico ou fazer testes", acrescentou no Twitter.

Até agora, foram registrados 11.780 casos de coronavírus em Washington DC e 581 mortes.

Estados Unidos é o país mais afetado do mundo, com 4,23 milhões de casos de covid-19 e quase 147 mil mortes, segundo a Universidade Johns Hopkins. Depois de um respiro em maio, a pandemia voltou a aumentar, especialmente no sul e oeste do país, o que obrigou muitos estados a desacelerar o desconfinamento que haviam começado.

O nordeste dos Estados Unidos, epicentro da crise por um tempo, continua controlando a pandemia. Seus estados também impuseram medidas de quarentena ou testes obrigatórios para os viajantes do restante do país.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação