Mundo

Pelo menos dez civis morrem em ataque do Boko Haram no Chade

Nesta região pantanosa e repleta de ilhas onde os jihadistas encontraram refúgio, o exército chadiano lançou uma ampla ofensiva contra o Boko Haram em abril, depois que 98 soldados foram mortos em um ataque a uma de suas bases em Bohoma

Agência France-Presse
postado em 31/07/2020 22:27
Nesta região pantanosa e repleta de ilhas onde os jihadistas encontraram refúgio, o exército chadiano lançou uma ampla ofensiva contra o Boko Haram em abril, depois que 98 soldados foram mortos em um ataque a uma de suas bases em BohomaPelo menos dez civis foram mortos e outros sete foram seqeuestrados no Chade nesta sexta-feira, em um ataque atribuído ao grupo jihadista Boko Haram por um oficial do exército e o prefeito local.

"Por volta das três da manhã, elementos do Boko Haram atacaram Tenana, matando duas mulheres e oito homens" daquela cidade na região dos lagos, uma área na fronteira com a Nigéria, Níger e Camarões, disse à AFP uma autoridade que pediu anonimato.

"Eles sequestraram sete homens, saquearam e queimaram a cidade antes de recuar", acrescentou a mesma fonte.

Nesta região pantanosa e repleta de ilhas onde os jihadistas encontraram refúgio, o exército chadiano lançou uma ampla ofensiva contra o Boko Haram em abril, depois que 98 soldados foram mortos em um ataque a uma de suas bases em Bohoma.

O prefeito de Fouli, Yacoub Mahamat Seichimi, confirmou o ataque de sexta-feira e o saldo, mas não forneceu mais detalhes.

"Enviei o vice-prefeito e o comandante da gendarmeria, eles foram falar com as famílias em luto", disse.

"São crianças locais, infelizes, que atacam seus próprios pais", acrescentou.

O ministro da Comunicação, Mahamat Zene Cherif, com quem a AFP entrou em contato, não confirmou o ataque, mas afirmou que estava "verificando suas informações".

Após a ofensiva de abril, na qual tropas chadianas foram destacadas para o Níger e Nigéria, o presidente do país, Idriss Deby Itno, que está no poder há quase 30 anos, disse que não havia mais "um único jihadista no país".

Em 9 de julho, um veículo armado passou por mina doméstica em Kalam, deixando pelo menos oito soldados chadianos mortos. O ataque também foi atribuído ao Boko Haram.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação