Mundo

Pequim promete resposta no caso de expulsão de jornalistas chineses dos EUA

Desde 8 de maio, Washington concede apenas vistos de 90 dias aos jornalistas chineses

Agência France-Presse
postado em 04/08/2020 13:33
Pessoas descansam em frente a um estúdio fechado que fornece serviços de identificação com foto para pedidos de visto em frente ao consulado dos EUA em Chengdu, província de Sichuan, sudoeste da China, em 26 de julho de 2020.A China prometeu nesta terça-feira uma resposta caso o governo dos Estados Unidos volte a expulsar jornalistas chineses, uma advertência anunciada em um momento de grande tensão entre as potências.

As autoridades americanas iniciaram uma disputa com a mídia chinesa em resposta, segundo Washington, às pressões sofridas pelos correspondentes estrangeiros em território chinês.

Desde 8 de maio, Washington concede apenas vistos de 90 dias aos jornalistas chineses, o que significa que algumas permissões devem expirar em breve, embora possam ser prorrogados.

"Caso os Estados Unidos sigam de maneira obstinada por este caminho e continuem cometendo erros, a China será inevitavelmente obrigada a dar uma resposta necessária e legítima", disse o porta-voz do ministério chinês das Relações Exteriores, Wang Wenbin.

"Até o momento, nenhum jornalista recebeu uma resposta clara das autoridades americanas ao pedido de prorrogação", lamentou.

Vários meios de comunicação chineses, como o canal estatal CCTV ou a agência de notícias Xinhua, foram considerados nos últimos meses pelas autoridades americanas como "missões diplomáticas estrangeiras".

As primeiras medidas de Washington provocaram uma escalada de restrições a jornalistas das duas potências.

Pequim expulsou no fim de fevereiro três jornalistas do Wall Street Journal. Washington respondeu com a redução do número de correspondentes da imprensa estatal chinesa nos Estados Unidos.

Outros jornalistas do Wall Street Journal, New York Times e Washington Post também foram expulsos pela China.

Nesta terça-feira, o porta-voz chinês não deu uma resposta clara ao ser questionado sobre expulsões de correspondentes americanos em Hong Kong, onde estão presentes muitos jornalistas estrangeiros devido à maior liberdade de imprensa que no restante do território chinês.

Mas a adoção em 30 de junho de uma nova lei de segurança em Hong Kong poderia resultar no veto de vistos aos estrangeiros considerados indesejáveis.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação