Opinião

Artigo: Todos contra o coronavírus

A única vacina que temos contra o coronavírus no momento é a informação e o conhecimento. O único tratamento efetivo que temos se sustenta nas medidas de proteção coletiva para evitar o máximo possível de pessoas contaminadas.

Francisco Araújo*
postado em 18/03/2020 12:39
A única vacina que temos contra o coronavírus no momento é a informação e o conhecimento. O único tratamento efetivo que temos se sustenta nas medidas de proteção coletiva para evitar o máximo possível de pessoas contaminadas.A hora é agora. Não há tempo a perder! Tudo está sendo feito para estarmos um passo à frente do coronavírus; medidas de proteção coletiva foram acertadamente tomadas pelo governador Ibaneis Rocha e logo seguidas por diversos outros estados brasileiros. O momento exige união de todos. Tudo tem que ser feito para salvarmos a população, e esta é uma questão de vida ou de morte.

Relatos dramáticos de médicos e demais profissionais de saúde chegam de diversas partes do mundo, todos os dias. Mas há também muitas informações falsas, as famigeradas fake news. Chegaram ao ponto de publicar ;recomendações; de como decidir sobre quem deve viver ou morrer caso o vírus se alastre de forma incontrolável e faltem leitos de cuidados intensivos para os casos mais graves. Um absurdo!

Não podemos deixar que a situação aqui repita o quadro que hoje assola a Itália. Lá, os governantes claudicaram, não tomaram as medidas na dimensão e nos momentos certos e hoje enfrentam um quadro caótico, que paralisou todo o país, trazendo à tona uma estrutura de saúde pública precária e despreparada para enfrentar esta crise. Os leitos de tratamento intensivo na Itália estão sendo disponibilizados para quem tem mais chance de sobreviver, em detrimento dos pacientes mais graves e que apresentam doenças crônicas ou idade avançada.

O Distrito Federal está sendo preparado para que não cheguemos a esse estado de coisas. Há um empenho conjunto para que as medidas adotadas, incluindo compra de equipamentos e montagem de mais leitos de UTIs, deem o suporte necessário para que, nesta situação atípica que enfrentamos, as consequências dessa pandemia sejam as mais controladas possíveis. Atualmente, temos 90 leitos novos e muitos equipamentos para renovar os leitos atuais. Teremos muito mais em breve.

Estamos nos adiantando e fazendo os investimentos tanto para o tratamento, quanto para fazer o maior número possível de testes nas pessoas com suspeita de contaminação a fim de sabermos quem está objetivamente infectado e, assim, impedirmos o avanço do vírus. Além disso, neste momento de emergência, temos que garantir que todos os profissionais de saúde que estão mobilizados para o atendimento tenham os equipamentos de proteção individual e atuem com segurança e efetividade.


O governador Ibaneis Rocha está dando todo apoio para que tomemos as medidas necessárias e vençamos essa batalha o mais rapidamente possível. Portanto, repito: é tempo de união e alinhamento das frentes que hoje atuam para o combate a esse novo vírus, ainda desconhecido e que se prolifera de forma tão rápida.


Nessa linha, é necessário lançar mão dos nossos estudantes de medicina, enfermagem e farmácia que, em determinado nível de aprendizado, podem ser capacitados para apoiar o combate por meio de um atendimento em centrais telefônicas nos serviços de saúde. Temos também nossos aguerridos militares, de todas as armas, que, certamente, estão dispostos para a luta nesse delicado momento. Precisamos de todos, já!


Os médicos, enfermeiros e profissionais de saúde são verdadeiros heróis nesta guerra. São eles que atuam no front, bravamente, atuando nos hospitais e nos centros de saúde, enfrentando um inimigo invisível. Mesmo preocupados com uma possível contaminação e disseminação entre seus familiares, quando se dirigem às suas casas, não deixam de estar à disposição de nossa sociedade.


Por tudo isso, precisamos encontrar os meios necessários para garantir que os esforços desses nossos heróis não sejam em vão e possamos dar as respostas mais resolutivas que nossa população precisa. Este não é um momento de ficarmos apenas com as avaliações técnicas. Não é tempo de debates entre teoria e prática. É tempo de governo e população se unirem em estado de guerra contra o coronavírus.


Este é um momento para unificação. Temos que apoiar de forma clara as ações do governo do DF. A única vacina que temos contra o coronavírus no momento é a informação e o conhecimento. O único tratamento efetivo que temos se sustenta nas medidas de proteção coletiva para evitar o máximo possível de pessoas contaminadas.


Criar barreiras que evitem a disseminação do coronavírus é, efetivamente, a melhor maneira de salvar vidas. Principalmente dos idosos, os mais vulneráveis ao vírus. São os nossos avós, nossos tios, nossos pais, as pessoas que tanto fizeram por nós, que, agora, temos o dever de proteger.


Finalizando, deixo esse apelo a todos os brasilienses: cancelem tudo que signifique perigo e facilite a proliferação do vírus. Cancelem a saída desnecessária que tinham programado e fiquem em casa. Ao permanecer em sua residência, você circula menos e evitará a disseminação do coronavírus. Ao ficar em casa e evitando a contaminação, garantiremos que haverá mais um médico, mais um enfermeiro, mais uma cama hospitalar disponível para os que já se contaminaram e, possivelmente, precisarão de um hospital. Com apoio e colaboração de todos, em breve, seguramente, poderemos voltar à normalidade das nossas vidas. E voltaremos a nos confraternizar e a comemorar mais uma batalha vencida, erradicando mais esta doença infecciosa em nosso país.

* Secretário de Saúde do Distrito Federal

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação