Opinião

Sr. Redator

Cartas ao Sr. Redator devem ter, no máximo, 10 linhas e incluir nome e endereço completo, fotocópia de identidade e telefone para contato.

postado em 05/05/2020 04:05
Aldir Blanc
Grande Aldir Blanc, expoente da riqueza cultural brasileira. Ele vai continuar emocionando com sua genialidade. O Brasil perde um dos maiores compositores da MPB, à altura de Cartola e Noel Rosa. Das músicas que mais gosto, muitas são da parceria dele com João Bosco. As letras são um primor. Que tristeza, Brasil. Já se foram dois gigantes nesse ano, Moraes Moreira e Aldir Blanc. Perdemos os dois neste mundo, mas eles partiram para brilhar na eternidade! Aldir era um gênio da arte. Lamentável.
; José Ribamar Pinheiro Filho,
Asa Norte


Luto e terror

Vivemos momentos de muita tristeza neste país. Milhares de brasileiros morrem pela Covid-19. Nas ruas, grupelhos de fanáticos e antidemocráticos esculhambam com os poderes Legislativo e Judiciário e, por absoluta e irremovível ignorância, tentam reavivar os anos de chumbo, o mais radical obscurantismo. Não suportam viver em democracia e desrespeitam os valores básicos de uma sociedade civilizada. É uma manada de vândalos e extremamente violenta, que, como o vírus que ceifa vidas, desembarcaram das trevas para impor o terror no país. O bando aglomerado na Praça dos Três poderes espancou jornalistas, pois não sabe conviver com a verdade. Preferem os subterrâneos da incivilidade. Triste saber que há terroristas no nosso país trajando as cores do Pavilhão nacional. Nessa segunda-feira, a tristeza se tornou maior com a perda do magnifíco Aldir Blanc, vítima do novo coronavírus, e do brilhante ator Flávio Migliaccio, cuja causa morte não se sabe. O Brasil vive um luto que se estenderá para o resto da vida desta geração.
; Giovanna Gouveia,
Águas Claras


Ignorância

A reportagem O protesto e a ignorância (4/4) saiu totalmente equivocada, ao meu ver. A ignorância, no caso, foi da meia dúzia de profissionais da saúde que, em vez de estarem trabalhando, em pleno dia normal de trabalho, e salvando vidas, estavam lá fazendo política. E fazendo política suja, com uma cruz negra, contra um presidente que está liberando bilhões e bilhões de reais para combater o coronavírus. Repito, ignorantes são esses profissionais, desleixados com os pacientes que, naquela hora, precisavam deles nos hospitais. Revoltante essa tendenciosa matéria do nosso Correio Braziliense.
; Joares Antônio Caovilla,
Asa Norte


Democracia

O século 21 nasceu numa sociedade baseada na informação. No mundo, o grande jogo do poder se dá pela mídia. Ao menos contar com sua isenção pode eleger ou defenestrar governantes e aprovar ou rechaçar esta ou aquela política pública. Nesse contexto, a mídia e, sobretudo, a imprensa que a pauta, assume, antes de mais nada, um papel social de altíssima responsabilidade e que deve ser exercido com absoluta transparência sob pena de ameaça à democracia e aos direitos de cidadãos por causa da etnia, credo, grau de instrução, posições político-ideológicas ou de estrato social a que pertençam. O conceito básico de democracia pressupõe três poderes, Executivo, Legislativo e Judiciário, equilibrados e exercendo mútuo controle em benefício do conjunto da sociedade. A imprensa, ou para sermos mais genéricos, os meios de comunicação formam hoje uma parte indissolúvel do sistema democrático moderno. Não há como conceber democracia sem uma imprensa livre e vigorosa. A imprensa é um dos canais por meio dos quais a sociedade civil se manifesta, emite opiniões, troca informações, vigia, denuncia e cobra dos três poderes clássicos o perfeito funcionamento daquilo que entendemos como democracia atrelado à informação com liberdade de imprensa.
; Renato Mendes Prestes,
Águas Claras


Quarentena

A flexibilização do comércio do DF será indeferida pela juíza federal se levar em conta a matéria de hoje em todos os jornais: As vagas de UTI no Hospital Regional da Asa Norte estão 100% ocupadas. O HRAN é o Hospital referência do DF. O estado de Santa Catarina vai recuar e mandará fechar o comércio e lojas de shopping após uma segunda onda de infecções. O governador Ibaneis Rocha, sabiamente, indeferirá nova abertura de lojas e shopping centers após ver o que ocorre no estado-irmão. O governador João Dória determinou bloqueios de ruas e avenidas. O DF poderá evitar essa medida, caso mantenha o comércio em quarentena, pelo menos até o final de julho e agosto!
; Simão Szklarowksy,
Asa Sul






Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação