Opinião

Sr. Redator

postado em 24/05/2020 04:12
Distritais.

;Dê o poder ao homem e descobrirá quem realmente ele é.; Essa frase de Maquiavel se encaixa direitinho na atitude dos deputados distritais, que só
olham para os seus umbigos. Que insensibilidade, que desamor ao próximo, que descaramento, que falta de vergonha e que falta de ética desses senhores que não sabem o que significa mandato parlamentar. Mandato significa que está encarregado, incumbência, concessão de poderes para desempenhar uma representação, delegação para representar alguém, conforme diz o Aurélio, significando que quem é o dono do mandato é o eleitor. Em plena calamidade que assola o nosso país, nossos ;representantes; votam uma matéria que beneficia a si próprios e a seus familiares, estendendo os seus planos de saúde ad aeternum, às custas do contribuinte e se esquecendo dos pobres coitados que os elegeram. Como se deve classificar uma atitude dessas?
Paulo Molina Prates,
Asa Norte


; Cada vez mais a Casa do Espanto se supera. Agora com a aprovação do plano de saúde para ex-distritais e ex-servidores. E com o devido respeito, (se é que merecem), todos os 24 distritais são ;farinha do mesmo saco;. Todos aprovaram o plano. E quando viram o estrago que fizeram, na imagem mais que desgastada daquela Casa Legislativa, alguns correram para anular o projeto de resolução, alegando as mais diversas bobagens. Mas, fazer o quê, pois os eleitores do Distrito Federal, no dia seguinte à eleição, não mais se lembram em quem votaram. E tem mais: tal pai (Leonardo), tal filho (Rafael), ou seja, tenho que ajudar a beneficiar meu pai. E só para concluir, por que não fazem uma consulta popular sobre a necessidade daquela Casa, pois do jeito que eles agem, sempre pensando em se beneficiarem, creio que a maioria dirá que é desnecessária.
Joanir Serafim Weirich,
Asa Sul

; Mais uma vez, a inútil Câmara Legislativa mostra à população do DF, que os seus integrantes não têm compromisso nenhum com a nossa cidade. Na realidade, quem toma posse como deputado quer é se dá bem, ou seja, enriquecer durante o mandato. Não estão nem um pouco preocupados com os problemas da capital do Brasil. Prova disso, é a aprovação desse imoral plano de saúde vitalício aos ex-deputados e familiares e aos ex-servidores comissionados daquela casa do espanto. Será que esses deputados dão um benefício desse aos empregados das suas empresas? Claro que não. A maioria deles é empresária. Então, eles acham fácil gastar o nosso dinheiro. Caro eleitor, veja quem votou a favor da aprovaçã desse projeto ilegal e imoral. Extinção da CLDF, já!
Sebastião Machado Aragão
Asa Sul

Lula


Lula, o ex-presidente e ex-presidiário continua por aí, aqui e lá, fora, livre e solto, graças ao beneplácito do Supremo. Com sua manjada verborragia odiosa, que envergonha, humilha e entristece o povo brasileiro, soltou mais uma de suas pérolas : ;Ainda bem que a natureza criou o monstro do coronavirus;. Difícil imaginar que algo tão assombroso pudesse ser dito por qualquer pessoa.
Vilmar Oliva de Salles,
Taguatinga

Artistas


Boas as contribuições dos artistas quando das transmissões de suas lives para levar às pessoas diversão e arte a seus lares. Observamos que a espontaneidade e o nível de solidariedade são assim bem expressivos. Nós, telespectadores, podemos nos sentir privilegiados diante dessas iniciativas, que vêm contribuindo no bom efeito psicológico de milhões de pessoas que continuam no isolamento social em seus lares. A arte e cultura entram em ação em prol da sociedade e, portanto, subjetivamente continuam a caminhar com os guerreiros profissionais da saúde em prol da prevenção e recuperação da sociedade brasileira. Lamentável é quando uma percentual da mídia costuma alarmar o número de mortos, em contrapartida desleal na divulgação (meio que ofuscada) dos índices daquelas pessoas que conseguiram, no dia a dia, ter a cura (tão esperada) do quadro de infecção da covid-19. A caminhada com fé, esperança e caridade pode ser uma boa opção de vida para vencermos os desafios da pandemia e, ao mesmo tempo, trabalharmos individual e socialmente no processo de autoajuda a si e cuidado ao próximo. Além da prática cotidiana em ouvir músicas, em variados ritmos, assistir aos shows virtuais, praticar ginásticas no lar, cuidar das tarefas domésticas, fazer leituras bíblicas e outras... bom, também, procurar levar palavras de ânimos, e rezar pelos familiares e amigos. Deus nos traga livramentos contra essa guerra terrorista da tal da pandemia.
Antônio Carlos Sampaio Machado,
Águas Claras

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação