Opinião

Invista no bom senso

Ana Dubeux
postado em 05/07/2020 04:05
Particularmente, sou muito cismada com os julgamentos na praça pública da internet. Os tais cancelamentos em série, a execração sem direito à oitiva do outro, a boiada seguindo em disparada sem se importar com o comando. Talvez, por isso, tento pensar cinco vezes antes de julgar alguém que cometeu alguma insanidade, sobretudo no meio virtual. E, quando o faço, normalmente guardo para mim. Agora, na pandemia, é comum apontar o dedo para este ou aquele que deu suas escorregadelas, fugindo do isolamento social. Há um quê de humanidade em se desviar do que é certo em algum momento. O problema é que, também, há uma desumanidade, pouco reconhecida por todos nós.

Nesta semana, os ;inocentes; do Leblon só não foram bloqueados porque é difícil escolher o boi em meio à boiada. Sobra, então, para essa massa amorfa que aguardou o primeiro sopro nos ouvidos para mostrar o quão importante é tomar um chope na calçada da Zona Sul. Assim como sobrou para quem decidiu comemorar o aniversário com uma festa covid free e testes rápidos na porta.

Ok, todos estamos cansados da solidão, todos temos saudades de nossa vidinha mais ou menos, quando fingíamos que tudo estava perfeito, a despeito dessa desigualdade absurda que impera da porta dos ricos para fora. Mas, neste momento, em que a Covid-19 está longe de estar controlada, mas as autoridades decidiram abrir todas as portas, decretos não são salvo-conduto para agirmos de forma leviana. Portanto, ainda que a cerveja gelada nos chame e que a saudade daquela turma seja imensa, vamos evitar aglomerações e apelar ao bom senso.

Para mim, não surpreende em nada o comportamento das pessoas. Você esperava outra coisa? Há algo de muito normal nesse ;novo anormal;. Um vírus mata pessoas, mas, incrivelmente, não muda outras pessoas. Se tudo isso passasse hoje, mais de 60 mil vidas teriam passado para outra esfera, também. Isso deveria nos levar a pensar e a encarar a ciência com mais seriedade.

Sem comando firme, a população brasileira está entregue à própria sorte. Agir com bom senso para proteger famílias, amigos e a população mais vulnerável é o que vai diferenciar você no meio dessa tragédia sanitária. Não se deixe levar pelo coletivo de idiotas que, entre outros atributos e normas de conduta, demonstra absurdo desprezo pela vida.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação