Publicidade

Correio Braziliense

Impulsionando o terceiro setor

Programa de voluntariado da cervejaria Ambev capacita líderes de organizações sem fins lucrativos com técnicas de gestão utilizadas pela própria empresa


postado em 19/12/2018 12:53

Um dos maiores desafios das ONGs é sobreviver em períodos de crise. Trabalho dessas instituições é fundamental para ajudar crianças em situação de risco(foto: Tulio Vidal/Divulgação)
Um dos maiores desafios das ONGs é sobreviver em períodos de crise. Trabalho dessas instituições é fundamental para ajudar crianças em situação de risco (foto: Tulio Vidal/Divulgação)

As organizações não governamentais (ONGs) surgem quando um grupo de pessoas se reúne para lutar por alguma causa, seja política, social ou ambiental, que é vista como urgente, mas que o governo não está conseguindo resolver sozinho. No Brasil, existem mais de 800 mil entidades em busca de um mundo melhor, trabalhando pela educação de crianças em situação de vulnerabilidade, pela empregabilidade, pelo esporte, pela música, pelas artes, entre outras. Quando esses grupos organizados da sociedade civil foram reconhecidos pela lei, na década de 1990, eles sobreviviam basicamente de doações, tanto da comunidade quanto de empresas relacionadas às causas. No entanto, com as dificuldades econômicas dos últimos anos, muitos doadores e contribuidores do terceiro setor tiveram seus orçamentos diminuídos, o que acabou impactando muitas ONGs no Brasil.

Um dos maiores desafios do terceiro setor, hoje, é conseguir sobreviver em situações de crise e encontrar novas maneiras de arrecadar recursos para o funcionamento de suas ONGs, se inspirando, inclusive, nas empresas privadas. “Em épocas de corte de verba, torna-se cada vez mais importante que o terceiro setor se torne mais eficiente e se organize para crescer. É justamente por essa eficiência de gestão que a Ambev é conhecida. Então, vimos que poderíamos contribuir, dando suporte para as ONGs, ensinando-as sobre nosso sistema de gestão.”, afirma Andrea Matsui, gerente de sustentabilidade da Cervejaria Ambev.

Diante desse cenário, a empresa criou seu programa de voluntariado, o VOA, no qual seus funcionários compartilham conhecimento em gestão com as organizações, dando aulas sobre gerenciamento de pessoas, orçamento, projetos, desdobramentos de metas e outras práticas, utilizadas dentro da própria Ambev, necessárias para a autossuficiência e ampliação de um negócio. “O nosso sonho é unir as pessoas por um mundo melhor e contribuir para esse sonho ao compartilhar nosso sistema de gestão, colocando nossos especialistas à disposição para que as ONGs aprendam com quem mais entende de cada assunto. Assim, as organizações podem ampliar seu impacto social, independente de recursos de doações e ficam mais preparadas para sobreviver a crises.”, completa a gerente.

Cada entidade beneficiada tem o seu padrinho, que auxilia no aprendizado(foto: Tulio Vidal/Divulgação)
Cada entidade beneficiada tem o seu padrinho, que auxilia no aprendizado (foto: Tulio Vidal/Divulgação)
Aulas presenciais

Em 2018, foi realizado o primeiro ciclo de capacitação, que movimentou, no total, mais de 170 voluntários da empresa para administrar aulas a 150 ONGs espalhadas por todo o Brasil. Os conteúdos são separados em quatro módulos: sonho & princípios, estratégias e tática; gestão de pessoas, gestão de rotina e de orçamento; comunicação, relacionamento, captação de recursos e governança; e, por fim, solução de problemas e gestão de projetos. Além disso, cada entidade é apadrinhada por um voluntário Ambev, que auxilia na transferência de conteúdo e na implementação de um projeto prático voltado para a comunidade em que atua.

Vinte e cinco ONGs receberam aulas presenciais, enquanto as demais foram beneficiadas em suas próprias cidades de atuação. Para o programa presencial, cada organização indicou duas pessoas em cargos de liderança para assistir a seis meses de aulas presenciais e realizar exercícios aplicados com mentoria. Os projetos desenvolvidos foram avaliados pela aplicação da metodologia aprendida, alcance e potencial de impacto. O vencedor do grupo presencial foi a ONG Pró-saber SP, que atua em Paraisópolis, na zona sul de São Paulo, com o projeto “Para ser grande Sê Inteiro”, que pretende implementar iniciativas de incentivo à leitura em 80% das escolas públicas da comunidade e impactar, nos próximos três anos, pelo menos 50% das crianças entre 4 e 8 anos que vivem ali. Já a melhor colocada do grupo que recebeu aulas e mentorias individuais foi a ONG Passos Mágicos, de Embu-guaçu-SP, que promove aulas de português, matemática e inglês para alunos de escolas públicas no contraturno, além de oferecer acompanhamento psicológico. O trabalho apresentado pela Passos Mágicos tem o objetivo de expandir o alcance da ONG para o quádruplo de crianças em dois anos, chegando, inclusive, a outras cidades.

Ambev criou o VOA, programa de voluntários que auxiliam ONGs como a Pró-Saber, que atua em Paraisópolis, São Paulo(foto: Tulio Vidal/Divulgação)
Ambev criou o VOA, programa de voluntários que auxiliam ONGs como a Pró-Saber, que atua em Paraisópolis, São Paulo (foto: Tulio Vidal/Divulgação)
Ao todo, o tempo dedicado pelos voluntários da companhia foi o equivalente a R$12 milhões em consultoria, valor que se aproxima do montante arrecadado para projetos do Criança Esperança, por exemplo, que pode impactar diretamente na vida de mais de 1,5 milhões de pessoas. “Poder implementar o sistema de gestão da companhia em uma ONG e ver o potencial de impacto social que podemos atingir foi uma experiência muito gratificante. É a realização do nosso sonho de mundo melhor e nos deixa motivados para continuar ajudando”, explica Felipe Cerchiari, diretor de inovação da Cervejaria Ambev e voluntário da Pró-saber SP. “Estar aberto a aprender e a realizar mudanças foi essencial para o sucesso da Pró-saber”, acrescenta.

A edição de 2019 do programa VOA será lançada em janeiro, e o novo edital será divulgado em breve. “Estamos muito satisfeitos com os resultados do programa VOA e ansiosos para a edição de 2019, no qual pretendemos melhorar ainda mais as capacitações e mentorias, usando os aprendizados do programa deste ano.”, conclui Andrea.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade