Correio Braziliense

Aprendizado em sala de aula é mais eficaz, afirma especialista

Estudar sozinho pode ser uma opção, mas para fazer o sonho do concurso público virar realidade, a melhor estratégia é apostar na vivência que só um curso presencial pode oferecer


postado em 12/02/2019 10:43 / atualizado em 20/02/2019 11:27



Viajar o mundo todo, trabalhar na área que sempre se desejou, ter estabilidade para realizar seus projetos pessoais, garantir sossego e tranquilidade num mercado de trabalho influenciado pelas constantes mudanças políticas e econômicas. Passar num concurso público continua sendo a garantia da realização do sonho de muita gente, seja ele qual for. No entanto, é preciso que uma coisa fique sempre clara: para ser aprovado nesse tipo de seleção é preciso dedicação, compromisso, disciplina e se entregar aos estudos . E para aqueles que ainda nem começaram a estudar, ou que precisam de uma ajudinha extra para trilhar esse caminho, um curso presencial pode ser a melhor estratégia.

De acordo com o Professor Doutor Adjunto da Faculdade de Educação da Universidade de Brasília/UnB Francisco Thiago Silva, assim como nos diferentes níveis da educação formal, estudar em casa é importante – seja com a ajuda de material didático ou com a ajuda da internet. Mas ressalta que somente por meio das aulas presenciais de um curso preparatório para concursos é que o estudante experimenta uma aprendizagem mais efetiva. “É onde ele vai aprender a métrica, os macetes, fazer o reconhecimento das possíveis questões que irão cair na prova porque, mesmo que o professor venha para a sala com seu plano definido, no decorrer da aula aparecem dúvidas e questionamentos que o fazem trabalhar, inclusive, conteúdos e assuntos que não estavam inicialmente previstos, mas que são igualmente importantes para o concurso que vai acontecer muito em breve” explica o especialista.

Professor Doutor Francisco Thiago Silva
Professor Doutor Francisco Thiago Silva

O professor  salienta ainda que diversos estudos comprovam que o nível de interação na sala de aula é muito maior do que em qualquer outra situação de aprendizagem. “Neste momento, em que o conteúdo está sendo trabalhado, é que o estudante encontra espaço para solucionar seus maiores problemas e tirar suas dúvidas”. Inclusive, a resolução das questões em sala de aula é outra situação que os alunos aguardam com ansiedade, “pois assim eles podem debater com os colegas aquilo que foi estudado, reconhecendo com a ajuda do professor como a prova abordou a matéria, além da formação e a estrutura das questões incorretas”, destaca Thiago Silva. 

Em sala de aula, além de manter-se concentrado no conteúdo, é muito importante ter atenção no que está sendo transmitido pelo professor. Outro ponto importante, que é preciso salientar sobre os cursos presenciais para concursos públicos, é que o aluno po de, não somente interagir com o professor e seus pares, mas trabalhe de várias formas suas próprias dúvidas e incertezas. 

Sonhos X Realidade

Num ano em que se espera a realização de diversos concursos nas diferentes esferas do poder público, uma grande parte da população acredita na possibilidade de conseguir um emprego estável, cujo salário pode chegar à casa dos milhares de reais, garantindo assim a realização dos seus sonhos. Entretanto, para atingir esse objetivo é preciso, antes de mais nada, enfrentar com coragem e disciplina uma dura realidade de estudos e algumas  privações na vida pessoal de cada um dos futuros candidatos.

Todos os esforços valem a pena na busca da tal “estabilidade”, palavra que mais se escuta nas conversas dos corredores e nas salas de aula de um dos maiores cursos preparatórios para concurso público do Brasil. “Estabilidade, esta é a prioridade número um entre os alunos, pois o que eles querem atingir no futuro são seus objetivos, ou seja, viajar o mundo todo, comprar o imóvel dos sonhos, ou constituir qualquer tipo de patrimônio com a certeza que terão mais segurança financeira para isso, ou seja, uma garantia que está cada vez mais difícil de conseguir na iniciativa privada” avalia Rafael Pavarine, Coordenador Geral do IMP Concursos.

Rafael Pavarine, Coordenador Geral do IMP Concursos
Rafael Pavarine, Coordenador Geral do IMP Concursos
O coordenador salienta que “ninguém alcança o sonho do concurso público sem antes se esforçar bastante, visto que a concorrência hoje é grande e muito qualificada”. A partir de sua grande experiência na área, Pavarine ressalta também que “para a pessoa que está começando a estudar fique realmente competitiva e possa prestar com segurança diferentes seleções, ela precisa organizar sua rotina para reservar tempo de qualidade ao estudo”.

Quem conhece bem esse caminho é Camila Ribeiro, formada em engenheira ambiental e civil, que está há pouco mais de um ano estudando para o concurso do Serviço de Limpeza Urbana/SLU, mas de olho também no da Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento/ADASA (ambos do Distrito Federal). Sua rotina de estudos começa de manhã logo cedo no cursinho e continua depois do almoço até às 21h na biblioteca. “Se tiver almoço de domingo com a família eu vou, mas pode ter certeza que, se não estudei antes, vou sair de lá direto para a biblioteca”, revela. 

Camila, que iniciou os estudos em casa sozinha, assistindo videoaulas para o primeiro concurso que prestou, e não passou, decidiu mudar de estratégia e se matricular num dos cursos presenciais do IMP Concursos. Além de se ver obrigada a assistir às aulas, ela precisava se forçar a ver gente e socializar um pouco mais. “Eu acho que é um bom jeito de aprender porque, depois de estudar nos livros, você compreende melhor o conteúdo assistindo à aula do professor, para depois discutir com os colegas, e isso é muito bom pois uma hora ou outra o conteúdo acaba entrando na cabeça”, brinca.

A mesma ideia foi adotada pela advogada Cecília Olivieri, que está formada há três anos e, nos últimos doze meses divide um escritório com uma sócia. Com o sonho de viajar e conhecer o mundo todo depois que estiver estabilizada na profissão, ela admite que se inscreveu na mesma instituição que a colega Camila para driblar algumas dificuldades pessoais. “Eu não consigo ficar em casa estudando sozinha, então decidi me inscrever num curso para me sentir mais motivada”, relata. “A vantagem é que eu ainda aproveito pra tirar dúvidas com os professores dos casos que tenho no trabalho, e isso é também uma forma de aprendizado na prática”, acredita. 

Para enfrentar o concurso do TJDFT, que acontecerá em breve, Cecília optou pelo curso presencial e desistiu de estudar sozinha. “Eu senti que seria mais complicado justamente pela quantidade de matérias. Jamais eu teria como dominar o assunto por completo, sem falar que a resolução de problemas fica muito mais fácil com o professor na sala de aula”, finaliza. 

Camila Ribeiro (direita) e Cecília Olivieri (esquerda)
Camila Ribeiro (direita) e Cecília Olivieri (esquerda)

Para Rafael Pavarine, um curso presencial é o que a engenheira e a advogada precisam agora para construir uma base sólida de conhecimentos para concursos públicos. “Na relação com o professor, o aluno ganha com a experiência que o especialista tem, além da transmissão de técnicas de memorização e desenvolvimento de raciocínio lógico e interpretativo trabalhados em sala”, diz. “Já entre os colegas, o estudante desenvolve uma relação mais próxima, então ele fica mais à vontade para falar, discutir, pensar junto o conteúdo aprendido na sala, assim como a partilha de sonhos, angústias e objetivos comuns”, complementa.

É importante ainda registrar outro ponto importante lembrado pelo Professor Doutor Thiago Silva para garantir o sucesso na empreitada chamada concurso público: trata-se da escolha correta por uma instituição de ensino de excelência, para evitar que os candidatos caiam em ciladas. “É preciso que o curso conte com uma boa estrutura física e tenha um corpo de docentes de qualidade. E também buscar referências de pessoas que já tiveram aulas naquele lugar, ver o índice de aprovações, o material didático que utiliza, afinal, estamos falando de um investimento de tempo e de dinheiro que pode definir o seu futuro”, aconselha o especialista.

IMP CONCURSOS – Você entre os melhores 

Inaugurado em Brasília, no mês de julho de 2009, o IMP Concursos faz parte da Unyleya Educacional – uma tradicional holding portuguesa do ramo educacional. Logo, no primeiro concurso nacional de alta concorrência, atingiu a marca de mais de 70% de aprovação, graças ao corpo docente com vasta experiência e material didático de alto nível. Em 2018, a média de aprovação geral foi de 52% nos concursos públicos do Distrito Federal, chegando a atingir a marca de 09 entre os 10 primeiros colocados em um dos concursos da Polícia Militar, por exemplo. 

Nesse mesmo ano, o Instituto contou com mais de 23 mil alunos distribuídos em 680 turmas presenciais nas três unidades da Asa Sul, Sudoeste e Águas Claras. Inclusive, todas elas contam com uma estrutura de salas de aula amplas e confortáveis; ar-condicionado; recursos multimídia e sistema de amplificação sonora; sala de estudos; lanchonete e livraria com títulos da LeYa Alumnus, importante editora de concursos públicos do Brasil!

O IMP Concursos oferece opções de cursos por matérias específicas ou ainda para carreiras (policial, jurídico, tribunal e fiscal). O curso completo Platinum é feito para atender candidatos de carreiras administrativas e legislativas, abordando conteúdo do básico ao avançado para concursos. Entre os diferenciais de 2019 está o Coaching de Estudos, uma ferramenta de estudo que irá ajudar os alunos a estabelecerem métodos de estudo através de técnicas de neurolinguística, assim como motivá-los durante todo seu caminho no IMP, fazendo planejamentos específicos e desenvolvendo hábitos para uma performance mais qualificada.


Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação