Publicidade

Correio Braziliense

Ensino de excelência com tecnologia de ponta é aposta em escola de Brasília

Com foco na formação de cidadãos transformadores, escola combina experiência com renovação e oferece educação de qualidade com projetos de multidisciplinares significativos e grande novidade para 2019


postado em 21/01/2019 09:18 / atualizado em 29/01/2019 15:45

Experimentar e ir além: descobertas(foto: Divulgação)
Experimentar e ir além: descobertas (foto: Divulgação)
 
No sentido da visível necessidade de transformações para acompanhar evoluções, tanto tecnológicas quanto comportamentais, é perceptível como o universo escolar tem também expandido para oferecer novas possibilidades aos alunos. Particularmente em Brasília, esse processo ocorre, no ensino de excelência das escolas, com vistas à formação integral e ao êxito pessoal e profissional de cada um de seus alunos.

Ainda nesse contexto, em 2018 foi dada a largada para novas mudanças no panomara de Educação Básica no país. Em 4 de dezembro passado, foi aprovada, pelo Conselho Nacional de Educação (CNE), a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) para o ensino médio, sendo essa a sua última fase antes da homologação. A Base corresponde a uma matriz normatizadora que irá  direcionar o currículo de todas as escolas públicas e privadas no país. A previsão para que esteja em vigor é até 2020. 

Uma escola que já se adiantou nesse processo foi o Sigma. Com 526 aprovações no ano anterior, um terço das vagas de medicina da Universidade de Brasília (UnB), e um dos maiores colégios de Brasília, em 2018, conquistou uma marca de excelência e já iniciou a implementação de inovações, algumas que ainda estão por vir e outras que são realidade em 2019 e fortes demandas dos dias atuais. 

A instituição, que já tem 35 anos de história, foi pioneira na implantação do tablet como material didático, ainda em 2010, e tem estudado com profundidade o que está sendo oferecido de novidade no campo da educação para agregar em 2019. Com mais de 20 anos no Sigma, a ex-aluna e hoje Diretora Pedagógica da unidade 912 Sul, Natália Rocha ressalta que "o lugar de destaque que a instituição conseguiu na cidade vai muito além da qualidade do ensino que oferece, justamente, por manter a tradição sempre atrelada à capacidade de se inovar." 

A exemplo de inovações somadas às práticas pedagógicas, o que hoje são preceitos da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), como: autonomia, comunicação, pensamento científico, crítico e criativo, já são valores arraigados na cultura do colégio, vivenciados em cada um dos dias que compõe o seu calendário escolar e no material didático, que já foi reformulado para seguir as novas orientações. 

Outra reformulação tem sido a do espaço físco com projeto baseado em conceitos inovadores de espaço aberto, condizente com um ambiente propício para uma aprendizagem eficaz. Após reformas, o Sigma contará com áreas mais dinâmicas e abertas, novos ambientes de convivência, instalações amplas e interativas, além do que já dispõe, como sala maker, salas de aula com sistema de som e projetores, laboratórios equipados, entre outros.  

O grande diferencial


O Sigma busca desenvolver uma série de valores nos seus alunos, tais como respeito, resultado com significado, voz ativa, aprendizado contínuo e, principalmente, formação integral. Afinal, com essas ferramentas eles estarão aptos a enfrentar e adaptar-se às mudanças rápidas que o mundo atual impõe, desenvolvendo em cada ser a colaboração, a ética, a solidariedade e a visão crítica. “O nosso primeiro pilar é a excelência acadêmica comprovada pelos melhores índices de aprovações no PAS e no Enem; o segundo é a qualidade das relações interpessoais que construímos dentro da escola, pois sabemos o quanto o clima interno contribui no desenvolvimento do aluno”, avalia Natália. Para isso, o colégio possibilita, em sua proposta pedagógica, disciplinas extras, projetos e atividades diversas que acontecem dentro e fora da grade curricular, nos chamados contraturnos. 

E para garantir a qualidade das relações, o Sigma desenvolveu uma disciplina que é um programa exclusivo batizado de Convivência Ética, que tem como principal objetivo favorecer o desenvolvimento da autonomia moral do aluno. A formação nessa perspectiva proporciona a vivência de experiências próprias, a reflexão sobre os valores e a convivência de maneira ética. Na busca pelo desenvolvimento da autonomia, os alunos são levados então ao questionamento sobre assuntos e problemas reais que enfrentam dentro e fora da escola, assim como nas possibilidades de intervenção e resolução de problemas e o bullying.

E num espaço coletivo como é uma escola, um dos valores que passa a ser fundamental entre todos é o respeito. “Acredito que o principal papel de nós educadores é criar a cultura do respeito em nossos alunos, pois a ideia principal é que mesmo discordando, eu entendo e aceito que o outro possa pensar diferente de mim” enfatiza Natália Rocha. E a regra, inclusive, é válida para todos, pois a Convivência Ética também faz parte do Programa de Formação Continuada, outra ação alinhada com a Base Nacional Curricular Comum (BNCC), que é oferecido para todos os professores e gestores. “Assim eles passam a entender melhor quem é o aluno que está diante dele e quais as melhores maneiras de se trabalhar com ele, aproveitando cada uma de suas potencialidades enquanto indivíduo e pertencente ao grupo escolar”, explica a Coordenadora.

Descobrir o mundo criando laços de amizade desde a educação infantil(foto: Divulgação)
Descobrir o mundo criando laços de amizade desde a educação infantil (foto: Divulgação)

Ainda nas linhas da formação continuada dos docentes, o Sigma promove cursos constantes para atualizar e inovar, como especialização em alfabetização, novas técnicas para o ensino da matemática, os estudos aprofundados de metodologias ativas, e de exames seletivos para que os alunos alcancem melhores desempenhos em seleções diversas. “O desafio hoje é a formação integral do indivíduo para as necessidades do mundo atual, nossos professores precisam ter as melhores condições de trabalhar com as habilidades socioemocionais de seus alunos, e para isso é preciso estudar constantemente”, conclui.

Cursos, Projetos especiais e o High School


Para alcançar a formação integral, são oferecidas atividades diversificadas que ajudam seus alunos a desenvolver potencialidades e adquirir diferentes linguagens e múltiplos saberes culturais. A oferta acontece em todos os níveis de ensino. As crianças da Educação Infantil, além das atividades físicas e artísticas, tem a sua disposição iniciativas como a Ciranda do Livro, o Cancioneiro, o Bicho da Seda e o Vem, Família, um dos mais importantes, no qual as famílias se reúnem em um momento lúdico na escola, fortalecendo os laços com o Sigma, que são uma parceria fundamental para o sucesso no processo educacional dos alunos.

Quando os alunos chegam ao sexto ano, por exemplo, todos participam do Projeto Horta e, assim como no SigMaker, são estimulados a colocarem, literalmente, a mão na massa do começo ao fim do ano letivo, participando de todas as estapas do cultivo de alimentos diversos. “A participação é grande e os pais nos dão feedbacks incríveis de como a relação de seus filhos ficam muito mais positivas com a alimentação, graças a essa atividade” conta a diretora, que enumera ainda o alto índice de adesão dos alunos em projetos que não são obrigatórios como o SigmaMundi, que é uma simulação das reuniões das Nações Unidas. No caso dos Recreios Culturais, acontecem shows de grupos musicais formados por alunos do colégio durante o intervalo em um determinado dia da semana. “E essa foi uma demanda que veio diretamente dos estudantes e que já revelou grandes nomes como o bandolinista Hamilton de Holanda que estudou aqui no Sigma com a gente” diz orgulhosa.

Alunos do 6° ano colocam a mão na massa no Projeto Horta(foto: Divulgação)
Alunos do 6° ano colocam a mão na massa no Projeto Horta (foto: Divulgação)

Além de todas as atividades que fazem parte dessa escola que busca sempre se aprimorar, sua grande novidade para 2019 é o programa de High School. Oferecido no contraturno aos alunos a partir do nono ano do Ensino Fundamental, eles têm a chance de garantir a dupla certificação, Brasil e Estados Unidos, além do acesso ao currículo das escolas americanas, sem perder o conteúdo do ensino brasileiro. Além de enriquecer a formação, o programa vai abrir portas de estudo e trabalho aqui ou em mais 73 países em todo o mundo.

Vivemos em um tempo em que é necessário explorar potencialidades e promover transformações significativas no mundo. A busca do Sigma se mostra orientada pelo bem comum e pelo processo educativo por meio de experiências individuais de cada aluno. Em linhas gerais, o movimento através da transformação motiva uma aprendizagem relevante, com uma proposta pedagógica que visa, justamente a formação completa de jovens éticos, engajados e comprometidos com suas atividades educacionais hoje, profissionais amanhã e cidadãos em todos os dias de suas vidas. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade