Correio Braziliense

Sírio-Libanês amplia sua atuação em Brasília

Instituição passou a oferecer na Capital Federal atendimento de excelência em um hospital completo, com diversas especialidades médicas, tecnologia de ponta em um ambiente inovador e humanizado.


postado em 03/05/2019 18:18 / atualizado em 03/05/2019 20:03

Presente na Capital Federal desde 2011 com dois Centros de Oncologia e um de Medicina Diagnóstica, o Sírio-Libanês expandiu em fevereiro sua operação na região com a inauguração, na Asa Sul, de um hospital completo equipado com centro cirúrgico de última geração, UTIs humanizadas, leitos confortáveis e funcionais, além de corpo clínico e profissionais altamente especializados.
 
Já referência no diagnóstico e tratamento oncológico, com a ampliação hospitalar o Sírio-Libanês passa a oferecer em Brasília e região a mesma excelência em outras especialidades médicas, como cardiologia, neurologia, ortopedia e emergências por meio do Pronto Atendimento Adulto.
 
Dr. Gustavo Fernandes, Diretor Geral da Sociedade Beneficente de Senhoras Hospital Sírio-Libanês em Brasília, explicou a importância da relação entre estrutura hospitalar, tecnologia, médicos capacitados e humanização no atendimento aos pacientes. “Quanto maior o avanço na estrutura física e mais aparato tecnológico, menos danos e desconforto ao paciente e mais eficiência durante um tratamento. Tecnologia, médicos e humanização andam juntos, integrados”, explica Dr. Fernandes. 
 
Dr. Gustavo Fernandes, Diretor Geral do Sírio-Libanês em Brasília
Dr. Gustavo Fernandes, Diretor Geral do Sírio-Libanês em Brasília
 
Tecnologia 
Os avanços tecnológicos na medicina, unidos a uma equipe médica capacitada, boa estrutura física e atendimento humanizado garantem, por exemplo, intervenções cirúrgicas menos invasivas. Um fato notável dessa evolução é a cirurgia robótica, que propicia quantidade mínima de incisão no corpo (cortes), recuperação mais rápida e reduz riscos de infecções, entre outros benefícios. Outra tecnologia que vale a pena ressaltar é a ressonância magnética intraoperatória, que permite monitorar, em tempo real, por meio de imagens, o processo cirúrgico cerebral, mostrando com exatidão as estruturas relacionadas à lesão.
 
O Hospital Sírio-Libanês foi um dos pioneiros em realizar cirurgia robótica e técnica de ressonância magnética intraoperatória no Brasil. Em Brasília, seu hospital conta com seis salas de cirurgia equipadas com os mais modernos recursos, além de 144 leitos e 30 UTIs distribuídos em 30 mil metros quadrados. Membro da equipe médica do Sírio-Libanês na Capital Federal e autor de diversos artigos científicos disponibilizados nas mais importantes publicações nacionais e internacionais, o neurocirurgião Dr. Mauro Suzuki esclarece como as tecnologias avançadas facilitaram o tratamento cirúrgico no sistema nervoso central e periférico. “As incorporações tecnológicas foram cruciais para a melhora em assistência em neurocirurgia nas duas últimas décadas”, afirma Dr. Suzuki. 
 
Sala de cirurgia com robô Da Vinci
Sala de cirurgia com robô Da Vinci
 
Tratamentos cardiológicos 
De acordo com Dra. Ludhmila Abrahão Hajjar, Gerente Médica de Pacientes Críticos da SBS Hospital Sírio-Libanês em Brasília e coordenadora de UTI’s cardiológicas, as situações emergenciais demandam eficácia, treinamento e tecnologia para alcançar bons resultados. “A integração de todo o atendimento é a essência para o diagnóstico precoce e tratamento eficaz. Há situações clínicas nas quais o tempo é crucial. O retardo no diagnóstico e, consequentemente, na ação terapêutica aumenta a mortalidade por exemplo, em casos de infarto agudo do miocárdio, acidente vascular cerebral (AVC) e dissecção de aorta”, explica. “Um infarto agudo do miocárdio oclusivo caracteriza-se pela interrupção súbita do fluxo de sangue para as artérias do coração. O paciente deve ser atendido rapidamente, receber medicamentos e ser encaminhado para um cateterismo de urgência para abertura da artéria doente,” completa.  
 
Ainda segundo a médica, é notório que procedimentos cardiológicos mudaram resultados para melhor após o surgimento de tecnologia minimamente invasiva. “A cardiologia avançou muito na última década, tanto em diagnóstico quanto em terapêutica. Alguns exemplos são as técnicas hemodinâmicas como a angioplastia com stents farmacológicos de última geração, avanços em imagem coronária e cirurgia robótica. Reduzimos as complicações e mortalidade e melhoramos a qualidade de vida dos pacientes”, relata Dra. Ludhmila. 
 
O Sírio-Libanês conta com um protocolo definido para o atendimento do infarto, no qual o paciente é admitido e uma série de condutas diagnósticas e terapêuticas é desencadeada, com equipe especializada a postos 24h. “Outro diferencial nosso é a cardio-oncologia, uma especialidade relativamente nova e que reúne as principais evidências no tratamento do coração de pacientes com câncer”, conta Dra. Ludhmila. 
 
Unidade de Terapia Intensiva (UTI) 
A UTI do Hospital Sírio-Libanês é humanizada, ou seja, os pacientes podem ficar acompanhados de seus familiares e amigos durante o tratamento, os leitos têm janelas para que a percepção de dia e noite não seja perdida, entre outros. A UTI conta ainda com equipamentos de ventilação mecânica, monitores de débito cardíaco, laboratório completo e monitores integrados e de telemetria para aumentar a segurança dos processos. Vale destacar também a dispensação de medicamentos, que contam com processos de prescrição eletrônica, checagem eletrônica e integração entre sistemas. 
 
Representantes da Sociedade Beneficente de Senhoras Hospital Sírio-Libanês, entidade que fundou o hospital em 1921 e o comanda até hoje. De vestido branco, está Marta Kehdi Schah, atual presidente.
Representantes da Sociedade Beneficente de Senhoras Hospital Sírio-Libanês, entidade que fundou o hospital em 1921 e o comanda até hoje. De vestido branco, está Marta Kehdi Schah, atual presidente.
 
Sobre o Sírio-Libanês
A Sociedade Beneficente de Senhoras Hospital Sírio-Libanês, instituição filantrópica fundada em 1921, trabalha diariamente para oferecer e compartilhar com a sociedade uma assistência médico-hospitalar de excelência, sempre com um olhar humanizado e individualizado em mais de 60 especialidades. Desenvolve também atividades de ensino e pesquisa e executa projetos que consolidam sua responsabilidade social genuína. O Sírio-Libanês mantém o compromisso assumido há quase 100 anos por sua fundadora e realiza iniciativas sociais em quatro pilares: Integração com a Comunidade, Ambulatórios, Instituto Sírio-Libanês de Responsabilidade Social e Projetos de Apoio ao SUS. O Sírio-Libanês Ensino e Pesquisa promove cursos de atualização, pós-graduação, pesquisas e estudos, disseminando conhecimento e boas práticas para a sociedade em geral. A instituição foi pioneira na criação do programa Sírio-Libanês Saúde Corporativa, que une empresas, operadoras e medicina no cuidado qualificado e acompanhamento da saúde. O serviço é voltado para organizações de diversos setores e atende mais de 120 mil vidas, ajudando na gestão do benefício do plano de saúde e melhorando a qualidade de vida e produtividade de profissionais. Atualmente, o Sírio-Libanês está presente com unidades físicas em São Paulo e Brasília. Saiba mais em www.hsl.org.br.
 
Ver galeria . 10 Fotos Da Vinci - sala de cirurgia
Da Vinci - sala de cirurgia (foto: )

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação