Publicidade

Correio Braziliense

Trinca em pára-brisa de avião atrasa ministros

 


postado em 30/05/2008 16:42 / atualizado em 30/05/2008 16:50

Uma trinca no pára-brisa do Boeing 737 da Força Aérea, que serve à Presidência da República, conhecido por Sucatinha, fez com que três ministros e os demais integrantes da equipe de apoio à viagem do presidente Luiz Inácio Lula da Silva a El Salvador, retornassem à capital salvadorenha, depois de 20 minutos de vôo. O coronel André Fonseca, assessor militar da Presidência, responsável pelo avião, assegurou que "não houve nenhum tipo de risco às autoridades" e que "o pouso foi feito dentro das condições normais, sem qualquer procedimento de emergência". Segundo o militar, a trinca ocorreu na camada externa do pára-brisa do avião, certamente provocada por "uma fadiga normal no material". O ministro do Desenvolvimento Indústria e Comércio, Miguel Jorge, um dos que estava no avião e precisou voltar para a capital salvadorenha, contou que "não houve nenhum susto" porque o militar explicou o que estava ocorrendo. Informou, no entanto, que eles precisaram ficar mais de uma hora voando, para que fosse possível gastar combustível, já que o avião estava carregado de equipamento e com o tanque cheio, e era melhor que não pousasse naquelas condições porque estava muito carregado. "Estes aviões estão muito velhos. Temos de trocá-los logo", disse o ministro, que só viajará no final da tarde, agora no Boeing 707, o Sucatão da FAB. "Mas, foi tudo bem. Depois que soubemos, relaxamos e até jantamos a bordo, para só depois pousar", contou ele. Outro ministro que estava a bordo, Patrus Ananias, esperava estar nesta sexta-feira em Brasília para uma reunião do PT. Ele queria participar da reunião da executiva porque estava preocupado em encontrar soluções para o problema de Minas Gerais, onde o PT quer fazer acordo com o PSDB. O ministro das Minas e Energia, Edison Lobão, também estava a bordo, além de todo o pessoal da equipe de apoio à viagem presidencial a El Salvador. O Sucatão seguirá para El Salvador para transportar as autoridades para Brasília. A previsão é de que os ministros esperem a chegada do novo avião, o que só deverá ocorrer no final da tarde. Mesmo passando o dia em San Salvador, os ministros chegarão em Brasília mais cedo, se voarem com a FAB, do que se forem buscar a opção comercial mais rápida, que seria via Miami, com desembarque em Brasília apenas por volta das 10 da manhã de sábado, depois de voar até São Paulo e seguir para a capital federal. O Sucatão, que deu apoio à viagem de Lula ao Haiti, estava em Boa Vista apenas aguardando que se conseguisse as autorizações de sobrevôo dos países, para que pudesse decolar e resgatar os ministros. O presidente Lula só ficou sabendo do incidente com o avião reserva da Presidência quando desembarcou em Belém. Lula viajava no Airbus da Presidência, o Aerolula, comprado pelo governo no primeiro mandato.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade