Publicidade

Correio Braziliense

Eleições: disputa reeditada no Amapá

Corrida pela prefeitura da capital do estado traz filho e sobrinho de João Capiberibe e Waldez Góes, ex e atual governadores. As urnas tendem a ser um julgamento dos mandatos dos dois caciques políticos


postado em 30/09/2008 10:15 / atualizado em 30/09/2008 13:40

A eleição para a Prefeitura de Macapá reproduz a disputa pelo governo do estado em 2006, quando o governador eleito Waldez Góes (PDT) venceu o ex-governador João Capiberibe (PSB). Agora, os candidatos Camilo Capiberibe (PSB), filho do ex-governador, e Roberto Góes (PDT), primo do governador, lideram as pesquisas feitas pelo Ibope. Os dois candidatos já iniciam as articulações para o segundo turno. Roberto conta com o apoio de aliados do governador, como Fátima Pelaes (PMDB) e Professora Dalva (PT).

Na última pesquisa do Ibope, divulgada dia 15, Camilo subiu sete pontos percentuais, chegando a 31% das intenções de voto. Há um empate técnico com Roberto, que caiu um ponto e ficou com 27% das intenções. Fátima manteve o percentual de 8%, e Dalva caiu de 8% para 7%. Lucas (PTB) subiu cinco pontos e alcançou 9% das intenções do eleitorado. Ele pode ser a surpresa na reta final do primeiro turno. O Ibope ouviu 504 eleitores entre 11 e 13 de setembro. Com margem de erro de quatro pontos percentuais para mais ou para menos, a pesquisa está registrada na Justiça Eleitoral sob o número 5940/08.

Camilo aposta num racha entre os aliados do governador, que participou da campanha do primo Roberto no primeiro turno. “O governador se indispôs com os demais aliados. É difícil puxar essas candidatos para o nosso palanque, mas os eleitores deles podem vir”, afirma o candidato do PSB. Ele lembra que Dalva, além de ser a candidata apoiada pelo atual prefeito, João Henrique (PT), “tem espaço no governo do estado”. E acrescenta que Fátima “tem relação com o governo estadual”. Com o apoio de dois pequenos partidos, PSol e PMN, Camilo tem intensificado o contato direto com o eleitor na reta final de campanha.

Espaço
A coordenação de campanha de Roberto procura minimizar os efeitos da participação de Waldez na disputa no primeiro turno. Afirma que, embora tenha participado dos programas eleitorais de Roberto, o governador liberou todas as correntes que integram o governo. “Ninguém perdeu espaço no governo. Foram mantidas todas as secretarias”, comentou o assessor de imprensa, Cleber Barbosa. A coligação liderada pelo PDT conta com partidos tradicionais, DEM e PSDB, além do PTdoB e do PSL.

A participação do senador José Sarney (PMDB-AP) tem sido praticamente nula na capital do estado. Ele participa ativamente da campanha de Giovani Borges (PMDB), irmão do senador e aliado Gilvan Borges (PMDB-AP), mas na disputa pela prefeitura de Santana. O ex-presidente da República não participou do programa de Fátima Pelaes.

Embora quase todos os candidatos tenham boas relações com o governo Lula, quem explora a imagem do presidente na campanha é a candidata Dalva. Ela se apresenta como a candidata de Lula, mas isso não alavancou a sua candidatura. A eleição tende a se resumir em um julgamento dos mandatos de João Capiberibe e Waldez Góes no governo do estado.
Ficha técnica

Macapá

População: 344.153 habitantes

Orçamento: R$ 236 milhões

Eleitores: 200 mil

Candidatos: 7

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade