Publicidade

Correio Braziliense

Mudam os atores na política cearense

 


postado em 05/10/2008 09:00 / atualizado em 05/10/2008 09:02

Fortaleza – As eleições na capital do Ceará, independente do resultado, vão começar um processo de mudança na política do estado. Analistas avaliam que as lideranças tradicionais, como o senador tucano Tasso Jereissatti, começam a perder terreno para os novatos, como a prefeita Luizianne Lins (PT), que disputa a reeleição. Outro que sai arranhado da disputa é o deputado Ciro Gomes (PSB), que não acompanhou seu partido e decidiu apoiar a senadora Patrícia Saboya (PDT), adversária da prefeita de Fortaleza. No quadro político atual, a melhor situação é do governador Cid Gomes (PSB), que tem apoio garantido para disputar um novo mandato em 2010. Para o cientista político Francisco Moreira Ribeiro, da Universidade Federal do Ceará, os resultados do interior também serão cruciais para a sobrevivência da política de Tasso. “O futuro do senador está em algumas cidades importantes”, diz Moreira, ressaltando que o líder tucano pode perder prefeituras estratégicas, como Juazeiro do Norte, Sobral e Crato. Um dos motivos, segundo o analista, são as divergências internas do partido. “O PSDB não vem se acertando há algum tempo. Um exemplo disso é Lúcio Alcântara (ex-governador), que perdeu a eleição passada por causa disso. E isso vem acontecendo também nas prefeituras.” Para Moreira, independente do resultado da eleição de hoje, Luizianne Lins, que aparece na primeira posição em todas as pesquisas, ainda não pode ser considerada uma grande liderança mesmo sendo reeleita. “O que se pode dizer é que ainda está em processo de construção”, avalia o cientista político. Apesar disso, Moreira ressalta que a candidata à reeleição, apesar de ser da ala mais radical do PT, conseguiu romper barreiras e formar composições pouco tradicionais, a partir da Câmara Municipal, onde praticamente não tem oposição. “O grupo dela deve ter sofrido muito para fazer as alianças”, diz. O dia de ontem foi de passeatas e visitas a bairros para os principais candidatos. Pela manhã, Patrícia Saboya fez a última reunião com militantes em seu comitê e no fim da tarde estava programada uma caminhada pela orla de Fortaleza. Moroni Torgan (DEM), apontado nas pesquisas como candidato direto a um eventual segundo turno, fez passeata no centro da cidade e se reuniu com cerca de 3 mil fiscais para planejar o trabalho de hoje. Luizianne Lins, acompanhada por cerca de 50 pessoas, passeou de bicicleta por ruas de Fortaleza. As duas principais candidatas à prefeitura votam no mesmo horário, em lugares opostos. Luizianne estará na Assembléia Legislativa às 10 h, enquanto Patrícia Saboya vota no mesmo horário em um colégio tradicional da cidade. O deputado Ciro Gomes deve acompanhá-la. Moroni Torgan votará ao meio-dia em uma escola do bairro Serviluz, na Zona Portuária. A candidata do PDT vai visitar algumas seções eleitorais, assim como Torgan. Luizianne ficará em casa depois da votação. Todos os principais concorrentes à prefeitura vão acompanhar as apurações de suas residências. Dos 4,6 milhões de eleitores do Ceará, cerca de 1,5 milhão está em Fortaleza, onde o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) espera apurar até a meia-noite, em torno de 90% dos votos.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade