Publicidade

Correio Braziliense

Carminha Jerominho deixa presídio

 


postado em 11/10/2008 18:57 / atualizado em 11/10/2008 18:58

RIO - Após passar 40 dias presa na penitenciária federal de segurança máxima de Catanduvas, no Paraná, sob a acusação de se beneficiar de milícias para obter votos, a vereadora eleita do PTdoB Carmen Glória Guinâncio Guimarães, a Carminha Jerominho, chegou hoje ao Rio. Em suas primeiras declarações públicas, afirmou que sua família vem sendo perseguida por causa da popularidade que tem na Zona Oeste e defendeu as milícias. — Eu não sou a favor da milícia, mas é um mal menor que o tráfico de drogas. Os traficantes aliciam crianças para a atividade criminosa, criando mais bandidos. Com as milícias nas comunidades, não vemos menores no meio de pessoas armadas — disse. A vereadora eleita contou que muitas pessoas agradeceram a ela pelo fim do tráfico em suas comunidades: — Os jornais fizeram a população acreditar que o meu pai (o vereador Jerônimo Guimarães Filho, o Jerominho, do PMDB, ainda preso em Bangu 8 sob a mesma acusação) acabou com o tráfico na Zona Oeste. Porém, por esse mesmo motivo, minha família está sendo perseguida. Ela negou as acusações. — Nós nunca precisamos ameaçar para sermos eleitos. Temos um trabalho social há 17 anos. Mesmo presa, tive 22 mil votos — frisou.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade