Politica

Paes participa de missa e vai ao debate à noite

;

postado em 12/10/2008 19:17
RIO - O candidato Eduardo Paes (PMDB) participou na manhã deste domingo (12/10) de missa em homenagem à Nossa Senhora Aparecida, no Cachambi, ao lado da vereadora Silvia Pontes, do DEM, partido que apóia seu adversário Fernando Gabeira. Paes cancelou as demais agendas em função da cerimônia e disse que passará a tarde se preparando para o debate desta noite na TV Bandeirantes. Com isso, o candidato evita de se reunir com organizadores da 13ª Parada do Orgulho LGBT, um dia depois de obter o apoio de grupos ligados à Igreja Católica. Segundo ele, o candidato a vice na chapa Carlos Alberto Muniz vai representá-lo levando uma carta reafirmando seu compromisso de combater a homofobia e de respeito ao segmento. O governador Sérgio Cabral, principal aliado de Paes, participará da Parada. Seu adversário Fernando Gabeira prometeu se reunir hoje com os organizadores do evento. Eduardo Paes esteve acompanhado da mulher e dos dois filhos à missa. Em cima do palco, ele colocou um terço nas mãos da imagem de Nossa Senhora Aparecida, convidado pelo padre Jorge André. As orações tinham como alvo a campanha, segundo o candidato. _ Vim agradecer a Nossa Senhora termos chegado até aqui e sempre orando para que possamos seguir em frente. O peemedebista disse não temer a investigação do Tribunal Regional Eleitoral que flagrou partidários da campanha em ato contra Gabeira, sábado, na Zona Oeste. _ É um movimento natural da sociedade. Meu adversário demonstrou enorme preconceito contra o subúrbio e a Zona Oeste e a população está se manifestando. É natural que simpatizantes da minha candidatura estejam em manifestações contra meu adversário _ disse o candidato, cuja estratégia é repetir insistentemente as críticas a Gabeira por suas declarações contra a vereadora Lucinha. A vereadora Silvia Pontes carregava panfletos da candidatura de Paes e adesivos com a inscrição "Sou carioca, suburbano, com orgulho e amor". Ela afirmou ter sido retaliada pelo prefeito Cesar Maia por apoiar o peemedebista. _ Assim que terminou o segundo turno, mandei um e-mail ao prefeito César Maia dizendo que era impossível apoiar o candidato recomendado por dele. Eu tenho um trabalho social de prevenção às drogas que atende a mais de mil crianças e jovens e, por conta disso, não poderia apoiar um candidato que se diz favorável à liberação das drogas. Isso é totalmente contra os meus princípios. Agora estou recebendo a notícia de que a Prefeitura está cancelando convênios com os centros sociais que sempre me apoiaram _ afirmou a vereadora.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação