Publicidade

Correio Braziliense

Lula viaja para Espanha, Índia e Moçambique

 


postado em 12/10/2008 19:19 / atualizado em 12/10/2008 20:57

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva inicia nesta segunda-feira (13/10) um giro por três países: Espanha, Índia e Moçambique. O primeiro destino é Toledo, na Espanha, onde se encontrará com o presidente do governo José Luis Zapatero e o rei Juan Carlos. Um dos assuntos em pauta é a conclusão de um acordo entre o Mercosul e a União Européia. De acordo com o porta-voz da Presidência da República, Marcelo Baumbach, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva entende que acordos entre blocos podem minimizar os prejuízos com a atual crise financeira internacional. “A idéia do presidente Lula é que a queda de barreiras no comércio internacional é sempre benéfica para melhorar os fluxos de comércio. E nesse sentido, num momento de crise, essa queda de barreiras de comércio, seja por acordos entre países, seja por acordos multilaterais, no caso das negociações para um acordo na OMC (Organização Mundial do Comércio), tem grande importância na medida em que elas podem evitar que os prejuízos da crise sejam ainda maiores sobre os países”, afirmou em entrevista a jornalistas na última quinta-feira (9). Em Toledo, Lula receberá o 1º Prêmio Internacional Dom Quixote de la Mancha, por ter tornado obrigatório, em 2005, o ensino do espanhol nas escolas públicas e particulares de ensino médio. Concedido pela Fundação Santillana e pela Junta de Comunidades de Castilla-La Mancha, o prêmio é concedido a personalidades e instituições que contribuíram para a difusão e o conhecimento da língua espanhola. Na quarta-feira (15/10), Lula estará em Nova Delhi, Índia, para a 3ª Cúpula do Fórum de Diálogo Índia, Brasil e África do Sul (Ibas), quando serão firmados nove acordos de cooperação trilateral em diversas áreas, como meio ambiente e aviação civil. Com o governo indiano, Lula debaterá formas de equilibrar o comércio bilateral.A última parada do presidente é Moçambique. Em Maputo, a pauta de Lula será negócios, produção de biocombustíveis e financiamento brasileiro para o país africano, além de inaugurar um escritório da Fundação Osvaldo Cruz (Fiocruz) relacionado a anti-retrovirais, uma fábrica de bolas e uma unidade móvel do Serviço Social da Indústria (Sesi), do projeto Cozinha Moçambique. “O presidente proporá que Brasil e Moçambique estudem juntos novas modalidades para alavancar o fluxo de investimentos e de comércio, inclusive com vistas a lastrear operações seguras de crédito brasileiro para Moçambique”, informou o porta-voz.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade