Publicidade

Correio Braziliense

CEB é abrigo para indicações do DEM

Novo presidente da empresa, Benedito Carraro segue perfil de muitos integrantes do governo: uma boa relação com a cúpula do partido de Arruda. Com experiência no setor elétrico, ele é aliado de Jorge Bornhausen


postado em 12/01/2009 12:21 / atualizado em 12/01/2009 12:23

Na semana passada, o Conselho de Administração da Companhia Energética de Brasília (CEB) elegeu o engenheiro Benedito Carraro como presidente da empresa, uma das mais importantes do governo do Distrito Federal. Ele será também diretor-geral das subsidiárias CEB Distribuição S.A., CEB Geração S.A e CEB Participações S.A. A escolha levou em conta três fatores: o currículo no setor elétrico, a confiança do governador José Roberto Arruda e uma antiga amizade com o ex-presidente nacional do PFL, hoje DEM, ex-senador Jorge Bornhausen (SC). Carraro quase virou ministro das Minas e Energia no governo Fernando Henrique Cardoso, no início da década de 2000, na cota do então presidente do PFL. Não chegou lá, mas exerceu o segundo cargo mais importante na hierarquia da pasta, como secretário Nacional de Energia. “O Carraro é catarinense como Bornhausen, mas foi escolhido também pela grande experiência no setor. Ele está nos ajudando desde a fase de transição”, explica o vice-governador Paulo Octávio, presidente regional do DEM. O novo presidente da CEB, que já começou a trabalhar, segue um perfil que se destaca no governo Arruda: a relação com a direção nacional do DEM. Ele vai suceder o ex-senador José Jorge (DEM-PE), que deixa a política para tomar posse em fevereiro como ministro do Tribunal de Contas da União (TCU). Depois de quatro mandatos como deputado federal e um como senador, além de uma passagem como ministro das Minas e Energia, José Jorge ficou sem cargo público com a derrota do tucano Geraldo Alckmin na disputa pela Presidência da República, em 2006. O democrata integrou a chapa como vice. Foi no governo Arruda que ele conseguiu abrigo. Entre os democratas importados por Arruda está o secretário de Desenvolvimento Urbano, Cássio Taniguchi (DEM-PR), ex-prefeito de Curitiba, que se licenciou do mandato na Câmara dos Deputados para trabalhar na administração local. O deputado federal Alceni Guerra (DEM), também do Paraná, foi secretário Extraordinário de Educação Integral. Ex-governador do Paraná, o arquiteto Jaime Lerner é outro colaborador. Ele foi contratado em maio de 2007, por R$ 2,7 milhões, para elaborar projeto de revitalização de 14 áreas do Distrito Federal. No final do ano passado, Arruda anunciou que contrataria, para uma consultoria, o então secretário municipal de Assistência Social da gestão do prefeito do Rio de Janeiro, César Maia (DEM), Marcelo Garcia, hoje secretário da prefeitura de Juiz de Fora (MG). O presidente nacional do DEM, deputado Rodrigo Maia, também já fez indicações para o GDF: o secretário de Esportes André Felipe de Oliveira. Ele passou um ano no Distrito Federal. Novos ajustes em análise Depois de duas semanas no Rio de Janeiro, o governador José Roberto Arruda (DEM) retoma nesta semana a agenda de compromissos no Distrito Federal. Na metade de seu mandato, ele começará o ano de trabalho com alguns ajustes a fazer em sua equipe, principalmente na Secretaria de Justiça e Cidadania, na Administração de Taguatinga e na Secretaria Extraordinária de Educação Integral, onde os titulares exercem a função interinamente. Também deverá decidir se fará mudanças no Departamento de Trânsito do DF (Detran-DF). Há dois meses, a Secretaria de Justiça e Cidadania vem sendo comandada por Ricardo José Alves, que substituiu o ex-secretário da pasta Peniel Pacheco (PDT). O pedetista deixou o cargo por questões partidárias e está na Delegacia Regional do Trabalho. A função pode ser negociada com algum partido político ou ser entregue para indicação de algum deputado distrital, como o ex-presidente da Câmara Legislativa Alírio Neto (PPS). Ele não deve se licenciar do mandato, mas pode sugerir algum nome de sua preferência para o posto. Durante as negociações para a eleição do deputado Leonardo Prudente (DEM) à presidência da Câmara, Alírio passou a ser cotado para a liderança do governo na Casa. Nesse caso, os dois parlamentares inverteriam as posições, já que Prudente esteve na função no último ano. Essa é mais uma decisão que Arruda terá de tomar até o final de janeiro. Ele também terá de definir se manterá o deputado distrital Benedito Domingos (PP) na administração de Taguatinga. O parlamentar esteve no cargo nos dois primeiros anos do governo, mas assumiu o mandato em dezembro, quando se elegeu ouvidor da Câmara. “Ainda não sei meu destino”, desconversa Benedito. Há seis meses, a Secretaria Extraordinária de Educação Integral vem sendo comandada por Paulo Werberich, desde que o deputado federal Alceni Guerra (DEM-PR) se afastou do GDF para participar de campanhas eleitorais no Paraná. Arruda precisa encontrar um substituto para Alceni. Outro assunto que precisa ser tratado é o comando do Detran. O diretor-geral, Jair Tedeschi, foi convidado a assumir a chefia de gabinete da Presidência da Câmara Legislativa. Prudente disse que Tedeschi só sai com aval de Arruda. Um ponto favorece a mudança: Tedeschi tem relacionamento difícil com o secretário de Transportes, Alberto Fraga.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade