Publicidade

Correio Braziliense

Biografia de Tancredo põe Aécio na estrada

Governador de Minas começa pelo Recife sua peregrinação para se tornar mais conhecido. Viagens antecedem prévias tucanas previstas para outubro


postado em 23/02/2009 08:33 / atualizado em 23/02/2009 08:33

O lançamento de um livro sobre o presidente Tancredo Neves, pelo jurista e ex-ministro da Justiça Fernando Lyra, no Recife, deve dar partida à agenda de viagens que o governador Aécio Neves (PSDB) pretende cumprir pelo país como pré-candidato do PSDB à corrida eleitoral de 2010 pela Presidência da República. O evento está previsto para ocorrer na segunda quinzena de março. Lyra foi ministro do governo José Sarney (1985/89) e um dos principais articuladores de Tancredo Neves no processo eleitoral que sucedeu a campanha Diretas Já, na primeira metade dos anos 80. O movimento tomou conta do país e levou à derrota o candidato do regime autoritário, Paulo Maluf, decretando o fim do ciclo da ditadura militar, implantada pelo golpe de 1964. “Ele (Aécio) está estudando se estende a viagem de Recife a outros compromissos, mas essa definição só vai acontecer após o carnaval”, revelou ao Estado de Minas o deputado mineiro Rodrigo de Castro, secretário-geral do PSDB e um dos interlocutores mais assíduos do pré-candidato tucano. Segundo Castro, Aécio quer aproveitar o compromisso no Recife, que tem forte conotação sentimental e pessoal — é uma homenagem a seu avô que, eleito por um colégio eleitoral no Congresso Nacional, não chegou a assumir a presidência, herdada pelo vice Sarney —, para ampliar sua programação no Nordeste. O objetivo do plano de viagens do governador é permitir maior aproximação e conhecimento por parte do eleitor nordestino. Ele planeja promover a publicidade de suas ideias e de temas nacionais, expor seu estilo pessoal e dar visibilidade ao que deve formatar a pauta política das prévias do PSDB. Prévias O deputado e primeiro-secretário da Câmara, Rafael Guerra (PSDB-MG), estima para outubro a realização das prévias entre Aécio e o governador de São Paulo, José Serra, pré-candidatos que vão disputar a preferência do partido para a campanha pela presidência, em sucessão a Luiz Inácio Lula da Silva. Segundo Guerra, a ideia do partido é ter um prazo de pelo menos seis meses entre a reunião da Executiva do PSDB e as prévias. “A reunião da Executiva vai acontecer em março”, informou o deputado que, mesmo diante da intensa atividade administrativa que sua eleição para a Mesa Diretora da Câmara trouxe à sua vida parlamentar, diz estar acompanhando de perto a movimentação partidária para realização da disputa primária interna. O parlamentar afirmou que a filiação ao PSDB deve ser o único critério para formar e delimitar o colégio eleitoral que vai decidir entre os dois pré-candidatos — inicialmente, chegou-se a pensar que seria conveniente envolver o eleitor comum na escolha, como forma de mobilizá-lo para a campanha presidencial. Mas o processo ganharia em complexidade. Viagem conjunta Rodrigo de Castro informou que a programação de viagens ao lado do correligionário José Serra, por iniciativa do mineiro, não vai se misturar com a agenda do governador Aécio Neves. “Vai ficar para o final do ano, conforme a conveniência das prévias”, esclareceu Castro. “(A viagem conjunta) pode ser um formato interessante para os objetivos das prévias. Movimentando-se juntos, os dois (Aécio e Serra) vão expor a unidade do partido”, avaliou o dirigente partidário. Aécio acaba de obter uma vitória dentro do partido: superou resistências internas e impôs sua estratégia de promover as prévias. O PSDB oficializou a realização das primárias internas apenas esta semana, quase três meses após sugeridas ao presidente tucano e senador Sérgio Guerra (PSDB-PE), numa visita que Aécio fez ao Senado em novembro.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade