Publicidade

Correio Braziliense

Collor se desculpa por confisco de poupanças


postado em 25/03/2010 16:40

Vinte anos após a polêmica medida econômica que confiscou investimentos de milhões de brasileiros, o ex-presidente da República e hoje senador Fernando Collor (foto), do PTB-AL, lamentou a decisão. Em entrevista à Agência Senado, o parlamentar ainda afirmou que hoje não teria aprovado a medida. %u201CPeço desculpas, as mais sentidas e as mais humildes, aos brasileiros que passaram por constrangimentos, traumas, medos, incertezas e dramas pessoais com o bloqueio do dinheiro. Lamento que tenha acontecido. Hoje, não faria de novo.%u201D Em 16 de março de 1990, dia posterior à posse do primeiro presidente eleito pelo povo após o regime militar, foi instituído o %u201Cempréstimo compulsório%u201D, que deixou apenas 50 mil cruzados novos (equivalente a R$ 6 mil) nas contas-correntes, cadernetas de poupança e demais investimentos da população brasileira. %u201CMas a minha agenda macroeconômica prevalece até hoje, quebrou tabus como a abertura da economia, a Lei da Informática, as reservas de mercado, as privatizações, o não calote da dívida externa. Tudo isso era parte do plano de estabilização, mas hoje só falam no bloqueio do dinheiro%u201D, argumentou.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade