Publicidade

Correio Braziliense ELEIÇÕES

DEM manterá distância do PT


postado em 01/04/2010 10:54


Brasília – O comando do DEM aprovou na quinta-feira (31/3) uma resolução que proíbe a coligação do partido com o PT em qualquer estado do país nas eleições de outubro. Principais opositores do governo federal, os democratas argumentam que não podem unir-se ao PT por interesses estaduais, uma vez que os partidos têm "ideologias opostas" em sua essência.

"Somos antagônicos, temos posições diversas de um governo que não cumpre com a sua palavra. O partido tem que apresentar à sociedade uma posição clara de onde vai estar durante as eleições", disse o líder do DEM na Câmara, deputado Paulo Bornhausen (SC).

A resolução aprovada pela Executiva Nacional do DEM entra em vigor de imediato, mas passará a valer de fato no momento do registro das coligações perante a Justiça Eleitoral. Segundo Bornhausen, o comando dos democratas terá poderes para intervir nos estados que não seguirem a determinação – com a possibilidade de proibir eventuais uniões de petistas e democratas nas eleições regionais. "Em casos de desobediência, a Executiva tem o direito de intervir nas eleições estaduais", disse o líder.

Pela tradição brasileira, apesar do combate entre governo e oposição no governo federal, muitas legendas oposicionistas se unem nos estados e municípios com partidos governistas para conseguir eleger seus candidatos. Com a resolução do DEM, os candidatos do partido ficam proibidos de formar coligações com o PT sob pena de ter que responder ao comando da legenda.

A decisão dos democratas, no entanto, não se estende aos demais partidos da oposição. "Cada macaco no seu galho, cada partido tem a sua forma de agir", disse Bornhausen.

Em nível nacional, DEM, PSDB e PPS vão firmar coligação em torno da candidatura do governador José Serra (PSDB) ao Palácio do Planalto. Em alguns estados, porém, os partidos de oposição e da base seguem caminhos distintos das alianças federais para conseguir eleger seus candidatos.

No Rio de Janeiro, por exemplo, os partidos de oposição vão apoiar o deputado Fernando Gabeira (PV) para o governo do estado. O PV é aliado do PT em nível nacional, mas vai se unir à oposição, enquanto os petistas vão apoiar o governador Sérgio Cabral (PMDB) – candidato à reeleição.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade