Publicidade

Estado de Minas

Índio sai do DEM


postado em 04/04/2011 08:05

O ex-deputado Índio da Costa, candidato derrotado a vice de José Serra (PSDB) nas eleições do ano passado, anunciou, ontem, que deixará o Democratas para se filiar ao PSD, do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab. Há algum tempo já se comentava dentro do DEM sobre os rumores de uma possível saída de Índio. Há pelo menos três semanas, ele avisou a cúpula da legenda que estava de malas prontas para o PSD.

O ex-deputado fez o anúncio ontem pelo microblog Twitter após uma reunião com o prefeito de São Paulo. “Vou para o PSD fazer política moderna, independente, sem rancores, por um Brasil melhor. Levo comigo os valores que sempre defendi”, publicou, em sua página, no fim da tarde de ontem. O motivo da saída de Índio envolve a falta de espaço para o político e as divergências com o ex-prefeito da capital fluminense Cesar Maia (DEM). O ex-deputado também vinha enfrentando dificuldades no relacionamento com o filho de Cesar Maia, o deputado federal Rodrigo Maia (DEM-RJ). Índio chegou a se queixar que, desde o fim da corrida eleitoral, não teve espaço para aparições públicas no Rio de Janeiro.

O deputado Guilherme Campos (DEM-SP), braço direito de Kassab, demonstrou otimismo após o anúncio de Índio. Para Campos, o ex-deputado será “muito bem-vindo” na nova sigla. “Índio é uma liderança nova no Rio. Será importante para que o partido nasça forte no estado”, avalia.

Já o líder do DEM na Câmara, deputado Antônio Carlos Magalhães Neto (DEM-BA), avalia que a saída de Índio era conhecida e o partido já havia contabilizado a baixa. “Quem anuncia que está deixando o partido e participa de eventos de outra legenda já deixou o Democratas”, finaliza.

O PSD deve ser criado pelo prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, até setembro deste ano. Atualmente, a futura legenda passa por trâmites formais impostos pela legislação eleitoral para ser fundado.

  • Tags
  • #
Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade