Publicidade

Estado de Minas

Dilma adota ritmo mais leve no Alvorada

Depois de contrair pneumonia no pulmão esquerdo, presidente deixa de despachar no Planalto


postado em 05/05/2011 08:21

Palocci e Mantega chegam para encontro com Dilma: repouso médico
Palocci e Mantega chegam para encontro com Dilma: repouso médico

Desde que teve um foco de pneumonia diagnosticado no pulmão esquerdo, há uma semana, a presidente Dilma Rousseff diminuiu o ritmo de atividades da Presidência e segue despachando, somente com ministros, no Palácio da Alvorada, residência oficial do governo. O período de repouso recomendado pelos médicos e acatado pela petista chama a atenção por causa da reconhecida fixação de Dilma pela rotina de trabalho.

A previsão inicial era de que Dilma deveria permanecer em casa ao longo desta semana, dando continuidade ao tratamento com antibióticos até a próxima segunda-feira. O repouso, no entanto, será interrompido hoje para que ela receba o presidente da Alemanha, Christian Wulff. A visita do alemão começa no Palácio do Planalto e continua com um almoço no Palácio do Itamaraty. Até o fechamento desta edição, a presença de Dilma estava confirmada para os dois compromissos. Depois disso, porém, ela deve retornar para a rotina mais leve no Alvorada.

Aos que têm participado de reuniões na residência oficial, a presidente Dilma afirma que está se recuperando bem e já se sente melhor. Ontem, pela manhã, ela recebeu os ministros Antonio Palocci, da Casa Civil; Guido Mantega, da Fazenda; Luiz Sérgio, de Relações Institucionais; e Miriam Belchior, do Planejamento. Em pauta, além da votação do novo Código Florestal, estavam restos a pagar e a Marcha dos Prefeitos, que será realizada em Brasília na próxima semana.

Os compromissos só foram retomados no meio da tarde para que Dilma pudesse descansar. Até as tradicionais visitas públicas ao Palácio da Alvorada, que normalmente ocorrem às quartas-feiras às 15h, foram canceladas ontem e serão retomadas semana que vem. Os ministros da Tecnologia, Aloizio Mercadante, e da Educação, Fernando Haddad, completaram a agenda oficial de Dilma.

Até a reunião com o secretário de Aviação Civil, Wagner Bittencourt, que está pendente há alguns dias, não tem data para ocorrer e, por enquanto, os assuntos da área — um dos calcanhares de aquiles do governo federal por causa da proximidade de grandes eventos, incluindo a Copa do Mundo e os Jogos Olímpícos — serão tocados por Palocci.

Recuperação
O professor da Universidade de Brasília Carlos Alberto Viegas, especialista em pneumologia, explica que a maior parte dos casos de pneumonia é causada por bactérias. O tratamento deve ser feito à base de antibióticos. De acordo com ele, o tempo médio de recuperação é de 10 dias. A presidente Dilma Rousseff fez questão de não associar a pneumonia diagnosticada com a vacina para a gripe que tomou na segunda-feira para não desestimular a população. Viegas, todavia, explica que as pessoas que estão com qualquer doença infecciosa não devem tomar a vacina. Dilma recebeu a dose quando já estava doente, com um forte resfriado.

“Não posso fazer qualquer tipo de comentário sobre o problema da presidente porque não conheço ou tive acesso ao caso. É de se estranhar que uma pessoa adulta, saudável e que se alimenta bem pegue uma pneumonia, mas não sabemos a que condições ela foi exposta, já que exerce uma atividade pesada, com muitas viagens e compromissos”, ponderou o médico.

  • Tags
  • #
Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade