Publicidade

Estado de Minas

Adversários elogiam Itamar


postado em 02/07/2011 15:01 / atualizado em 02/07/2011 16:34

(foto: André Brant/CB/D.A Press)
(foto: André Brant/CB/D.A Press)
Independentemente das divergências políticas, parlamentares de vários partidos ficaram consternados neste sábado (2/7) com a morte do ex-presidente e senador Itamar Franco, 81 anos. O líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), que teve embates com Itamar por causa de votações no Senado, lamentou a morte do ex-presidente.

“A perda de Itamar vai ser sentida em todo país, uma vez que ele era respeitado e querido de todos os brasileiros. Também será sentida no Senado, onde sua atuação estava sempre acima das questões partidárias. Itamar tinha um estilo peculiar de fazer política com afinco e garra. Era contundente nas suas posições que defendia, fazia política de forma dura e respeitosa”, disse Jucá.

Um dos momentos mais tensos do convívio de Jucá com Itamar foi em fevereiro, durante a votação da medida provisória (MP) que reajustou o salário mínimo para R$ 545. Na ocasião, Itamar usou dispositivos regimentais e conseguiu obstruir a votação, mantendo a sessão por quase três horas. Tenso, o líder do governo pediu a Itamar para suspender a obstrução. O governo acabou vitorioso.

Em São Paulo, o ex-governador, ex-prefeito de São Paulo e ex-deputado federal Paulo Maluf (PP-SP) divulgou nota oficial lamentando a morte de Itamar. “Morreu um estadista, deixando um lugar difícil para ser preenchido. Ele enfrentou um dos momentos de maiores crises econômicas do país [por causa da hiperinflação]”, diz a nota.

  • Tags
  • #
Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade