Publicidade

Estado de Minas

Foi difícil ser oposição ao maior canalha deste país, diz Marconi Perillo

Várias personalidades políticas participam hoje da Convenção Nacional que elegerá o senador Aécio Neves (MG) para a presidência do partido


postado em 18/05/2013 13:11 / atualizado em 18/05/2013 13:35

O governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), fez duras críticas ao PT e ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Sem citar o nome do partido nem do petista, o tucano fez um duro discurso, na Convenção Nacional do PSDB. “Nunca antes neste país foi tão difícil ser oposição ao maior canalha deste país. Eu sei o que é enfrentar esse poderio”, afirmou.

Perillo disse que alertou Lula sobre o mensalão e que, por isso, foi escolhido como adversário. “Um dia eu tive a coragem de alertar este canalha que no governo dele havia mesada para comprar deputados – nem sabia do nome mensalão. Desde então, fui escolhido ao lado de Arthur Virgílio, (José) Agripino, Tasso Jereissati, como seus adversários maiores”, disse o governador goiano.

Leia mais notícias em Política

Ele lembrou ainda que o senador Aécio Neves (PSDB-MG), que será eleito hoje presidente do partido, é neto “do homem que fez a transição do país para a democracia”, referindo-se a Tancredo Neves.

Antes de Perillo, o ex-senador Arthur Virgílio, hoje prefeito de Manaus, também criticou o PT e disse que chegou a hora de o PSDB voltar a comandar o país. Virgílio observou que a legenda chegou ao segundo turno nas cinco últimas eleições, tendo vencido duas e perdido as últimas três. “Desta vez não basta vice-campeonato. É preciso medalha de ouro.”

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade