Publicidade

Estado de Minas

Congresso Nacional é ocupado por pelo menos 7 mil manifestantes

Protesto no Eixo Monumental termina com invasão nas cúpulas do Senado e da Câmara


postado em 18/06/2013 08:20 / atualizado em 18/06/2013 19:02

Os manifestantes invadiram o teto do Congresso às 19h20 e tentaram entrar na chapelaria, na parte inferior: jovens prometem um novo protesto na próxima quinta-feira(foto: Breno Fortes/CB/D.A Press)
Os manifestantes invadiram o teto do Congresso às 19h20 e tentaram entrar na chapelaria, na parte inferior: jovens prometem um novo protesto na próxima quinta-feira (foto: Breno Fortes/CB/D.A Press)
 
Símbolo do Poder Legislativo, o Congresso Nacional teve a plataforma superior, onde estão as cúpulas da Câmara e do Senado, invadida por manifestantes às 19h20 dessa segunda-feira (17/6), no dia mais tenso dos protestos na capital federal, e que se alastraram por todo o país. O grupo — 10 mil de acordo com os organizadores e 7 mil na avaliação da Polícia Militar — caminhava pelo Eixo Monumental quando se dividiu ao meio para confundir os homens da PM. Parte correu para o gramado em frente ao espelho d’água do Congresso. O outro, aproveitando um descuido assumido pelos próprios seguranças, foi até o teto de mármore. Às 22h, um grupo tentou a invadir a chapelaria, destinada ao embarque e desembarque dos parlamentares, e foi reprimido com bombas de gás — até o fechamento da edição, não se sabia se era lacrimogêneo ou de pimenta — lançadas pelos policiais militares. Instalou-se uma correria desordenada pela pista que levava ao Eixo Monumental, com pessoas passando mal ao inalar o gás lançado pelos militares. Leia mais notícias em Política O movimento foi organizado ao longo de todo o fim de semana, pelas redes sociais e ocorreu dois dias após um confronto duro com a Polícia Militar na porta do Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha, no sábado, antes do jogo de abertura da Copa das Confederações entre Brasil e Japão.
 
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade