Publicidade

Estado de Minas

Oposição exige que ministra explique uso de helicóptero do Samu

Depois de denúncia do Correio, de que Ideli Salvatti voa em aeronave do Samu, oposição cobra postura da Comissão de Ética. Ela responde: "Outros ministros também utilizaram"


postado em 08/10/2013 07:49 / atualizado em 08/10/2013 07:54

Pré-candidata ao Senado, a ministra afirma que não houve ilegalidade(foto: Iano Andrade/CB/D.A Press)
Pré-candidata ao Senado, a ministra afirma que não houve ilegalidade (foto: Iano Andrade/CB/D.A Press)


Partidos de oposição à gestão Dilma Rousseff cobraram ontem que a ministra das Relações Institucionais, Ideli Salvatti (PT-SC), preste explicações à Comissão de Ética Pública da Presidência da República. A reação veio após denúncia do Correio de que a ministra, pré-candidata ao Senado por Santa Catarina, utiliza durante missões oficiais em sua base eleitoral o único helicóptero da Polícia Rodoviária Federal no estado, destinado primordialmente à remoção de pacientes graves. No Palácio do Planalto, ontem à noite, ela afirmou que “outros ministros também utilizaram. Então, ilegalidade nenhuma”.

O equipamento modelo Bell 407 (prefixo PT-YZJ), conveniado ao Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu), é equipado com uma maca, tubo de oxigênio e materiais de primeiros socorros. À disposição de Ideli, o helicóptero tem os equipamentos retirados e a escala de atendimento de urgência suspensa.

Leia mais notícias em Política

O líder do PPS na Câmara, deputado Rubens Bueno (PR), classificou de “imoral” a utilização da aeronave. “Isso que a ministra está fazendo é uso eleitoreiro de um bem público para pavimentar sua campanha. Essa prática imoral tem sido usada nesses anos todos por este governo”, afirmou. Para o parlamentar, a responsável pela articulação política do governo Dilma precisa explicar ao país a sua atitude.

A matéria completa está disponível aqui para assinantes. Para assinar, clique aqui.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade