Publicidade

Estado de Minas

Gabrielli: "Responsabilidade pela compra é da diretoria e do Conselho"

Em depoimento no Senado, ex-presidente da Petrobras ressaltou que apontar crise na empresa é "campanha de oposição"


postado em 20/05/2014 11:30 / atualizado em 20/05/2014 12:00

Em depoimento à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras, nesta manhã de terça-feira (20/5), o ex-presidente da estatal Sérgio Gabrielli afirmou que não participou das negociações da compra, em 2006, de uma refinaria em Pasadena, nos Estados Unidos. Gabrielli acrescentou, no entanto, que participou apenas dos processos decisórios do negócio e que a responsabilidade pela compra é da diretoria e do Conselho da Petrobras. Antes de ouvir os questionamentos dos senadores, ele fez uma ampla defesa da empresa.

"Essa empresa, com esse potencial, não pode ser considerada em crise", ressaltou ex-presidente da Petrobras (foto: Antônio Cruz/Agência Brasil)


Gabrielli ressaltou que apontar crise na empresa é “campanha de oposição”. “A Petrobras é uma empresa hoje que tem 21 bilhões de reserva de barris. (...) Então, essa empresa, com esse potencial, não pode ser considerada em crise. Não pode ser considerada empresa que está mal gerida. Nem que está a beira da falência. Isso é campanha de oposição. Isso é luta política”, disse.

Leia mais notícias em Política

Para ele, a compra de Pasadena não pode ser considerada nem um bom negócio nem um mau negócio. “É um negócio que muda. Era bom quando foi adquirido. (...) Em 2008, se torna mau negócio, porque reflete a crise financeira no mundo. (...) A partir de 2013, volta a ser bom negócio. Em 2014, ela é lucrativa. (...) Portanto, é refinaria potencialmente muito lucrativa”, comentou.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade