Publicidade

Estado de Minas

Tribunal de Contas da União vai rever acórdão que isenta Graça Foster

Presidente da Petrobras poderá ser incluída em texto que responsabiliza antiga diretoria por compra de Pasadena


postado em 31/07/2014 06:02 / atualizado em 31/07/2014 10:23

A presidente da Petrobras, Graça Foster, poderá ser incluída no acórdão do Tribunal de Contas da União (TCU) que responsabiliza a antiga diretoria pelo prejuízo na compra da Refinaria de Pasadena.

Um ex-diretor chegou a ser acusado por atos praticados após a saída dele, e a Corte estuda rever o documento, o que abre brecha para a inclusão de Graça.

Nessa quarta-feira (30/7), José Orlando de Azevedo, ex-presidente da Petrobras América e primo de José Gabrielli, negou, em depoimento na CPMI da Petrobras, qualquer participação no litígio da compra de Pasadena.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade