Publicidade

Correio Braziliense

Após ganhar liberdade, Rocha Loures deixa Superintendência da PF

Loures teve a liberdade garantida nessa sexta-feira (30/6), após decisão do ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF)


postado em 01/07/2017 10:26 / atualizado em 01/07/2017 16:27

(foto: Bruno Santos/Folhapress - 19/5/17)
(foto: Bruno Santos/Folhapress - 19/5/17)

 

O ex-deputado e e ex-assessor do presidente Michel Temer Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) deixou o prédio da Superintendência da Polícia Federal (PF), em Brasília, por volta das 10h15 deste sábado (1°/7). Ele estava no banco de trás de uma viatura da PF e outro carro o acompanhava. Loures seguiu para o Instituto Médico Legal (IML) fazer exame de corpo de delito e depois retornou à PF para concluir o processo de liberação. Por volta das 16h, ele foi para casa. 

 

Loures teve a liberdade garantida nessa sexta-feira (30/6), após decisão do ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), que é relator da Operação Lava-Jato na Corte. O ex-deputado é acusado de receber propina de R$ 500 mil no caso da JBS.

 

Pela decisão de Fachin, Rodrigo Rocha Loures deve passar a usar tornozeleira eletrônica e permanecer em casa à noite (de 20h às 6h), finais de semana e feriados. Ele também não poderá se comunicar com nenhum dos investigados ou deixar o país, além de se apresentar ao juiz e atualizar os dados referentes à residência onde ficará.

 

Segundo o advogado, Loures permanecerá em Brasília. Ele foi preso preventivamente (antes de julgamento) em 3 de junho, a pedido da Procuradoria Geral da República (PGR), em razão das delações de executivos da JBS.No pedido de prisão, o procurador-geral, Rodrigo Janot, apontava a possibilidade de prejuízo às investigações e risco de que o peemedebista viesse a cometer novos crimes.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade