Publicidade

Correio Braziliense

PMDB vai punir deputados que votarem a favor de denúncia contra Temer

Decisão por unanimidade foi tomada após reunião da executiva do partido e já vale para a votação na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) na Câmara.


postado em 12/07/2017 11:20 / atualizado em 12/07/2017 13:06

Pelo Twitter, o presidente da legenda, senador Romero Jucá (PMDB-RR), confirmou a punição aos deputados que forem contra a decisão do partido(foto: Reprodução/Twitter)
Pelo Twitter, o presidente da legenda, senador Romero Jucá (PMDB-RR), confirmou a punição aos deputados que forem contra a decisão do partido (foto: Reprodução/Twitter)
 
Após reunião da Executiva Nacional do partido, na manhã desta quarta-feira (12/7), os dirigentes do PMDB decidiram por unanimidade fechar a questão sobre punições aos deputados que votarem a favor da denúncia de corrupção passaiva apresentada pela Procuradoria Geral da República (PGR) contra o presidente Michel Temer. Pelo Twitter, o presidente da legenda, senador Romero Jucá (PMDB-RR), confirmou que "quem não cumprir a decisão será enquadrado pelo Conselho de Ética do partido e sofrerá punições."



Jucá também afirmou que o líder do PMDB na Casa, deputado Baleia Rossi (SP), já tem a prerrogativa de suspender as funções partidárias por 90 dias. "Aqueles que não atuarem em consonância com o partido responderão ao conselho de ética", escreveu Jucá. A reunião foi convocada nessa terça-feira (11/7), como uma das estratégias do governo para impedir que os filiados ao partido acompanhem o voto do deputado Sérgio Zveiter (PMDB-RJ), que recomendou, em parecer, prosseguimento da denúncia contra Temer.

Com isso, os deputados peemedebistas que votarem favoravelmente à possibilidade de o Supremo Tribunal Federal (STF) analisar a denúncia poderão sofrer punições por parte do PMDB, como advertência ou até mesmo expulsão. A decisão foi tomada após ouvir muitos parlamentares e terá validade já para a votação na Comissão de Constituição Justiça e Cidadania (CCJ), na Câmara, onde corre o processo, e também na deliberação em plenário.
 


Participaram da reunião do PMDB os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil), Moreira Franco (Secretaria-Geral da Presidência) e Leonardo Picciani (Esporte). Também participaram o líder da maioria na Câmara, Lelo Coimbra (ES), o líder do partido na Câmara, Baleia Rossi (SP), os deputados Lúcio Vieira Lima (BA), Mauro Lopes (MG), Darcísio Perondi (RS), Carlos Bezerra (MT), a deputada Dulce Miranda (TO) e os senadores Waldemir Moka (MS) e Valdir Raupp (RO).

Comissão na Câmara

Os deputados iniciaram, pouco depois das 11h de hoje, as discussões do parecer do relator da denúncia contra o presidente da República, Michel Temer, por corrupção passiva. O texto do deputado Sergio Zveiter (PMDB-RJ), lido na segunda-feira (10/7), recomenda a admissibilidade da investigação pelo Supremo Tribunal Federal (STF). 

Como os deputados fizeram pedido de vista, que é o tempo extra de análise de determinada matéria, o início da discussão foi adiado para hoje, depois de cumprido o prazo de realização de duas sessões do plenário. Por acordo, todos os 122 integrantes da comissão (suplentes e titulares) e mais 40 deputados não membros devem falar na CCJ, com isso a discussão pode durar até 40 horas.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade