Publicidade

Correio Braziliense

Investigação contra Geddel chega na Justiça Federal de Brasília

Caso que está relacionado aos R$ 51 milhões encontrados pela PF em apartamento foi desmembrado por ordem do ministro Edson Fachin


postado em 18/10/2017 17:49

Na Justiça comum, o caso deve tramitar com maior velocidade(foto: Evaristo Sá/AFP)
Na Justiça comum, o caso deve tramitar com maior velocidade (foto: Evaristo Sá/AFP)
Um processo de investigação contra o ex-ministro Geddel Vieira Lima chegou na tarde desta quarta-feira (18/10), 10ª Vara da Justiça Federal de Brasília. O caso foi enviado a primeira instância por determinação do ministro Edson Fachin, relator da operação Lava-Jato no Supremo Tribunal Federal (STF).
 
 
O processo estava  na suprema corte por conta do envolvimento do deputado Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA), irmão de Geddel. O objetivo da ação é apurar supostos desvios em recursos mantidos pela Caixa Econômica Federal.
 
O caso segue em segredo de Justiça e está em apuração desde o começo do ano. Mas ganhou novos elementos após a operação Tesou Perdido ser deflagrada. Fachin manteve na corte a investigação sobre a origem dos R$ 51 milhões em espécie, encontrados em um apartamento emprestado para o ex-ministro em Salvador. 

As fraudes, de acordo com informações do processo, teriam ocorrido entre 2011 e 2013, época em que Geddel era vice-presidente de Pessoa Jurídica da Caixa. Os envolvidos no esquema atuaram para liberar crédito para empresas que aceitavam pagar propina. Na Justiça comum, o caso deve tramitar com maior velocidade.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade