Publicidade

Correio Braziliense

Fachin determina sequestro de imóvel que levou à renúncia de Geddel

O apartamento esteve no centro do episódio que levou à renúncia de Geddel Vieira Lima do cargo de ministro da Secretaria de Governo


postado em 08/12/2017 11:26

Fachin atendeu ao pedido de Raquel Dodge, que apresentou denúncia por lavagem de dinheiro e associação criminosa contra Geddel(foto: Valter Campanato/Agência Brasil)
Fachin atendeu ao pedido de Raquel Dodge, que apresentou denúncia por lavagem de dinheiro e associação criminosa contra Geddel (foto: Valter Campanato/Agência Brasil)

 

O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou o bloqueio parcial de sete empreendimentos imobiliários em Salvador ligados à família do ex-ministro Geddel Vieira Lima.

 

Leia as últimas notícias em Política 

 

Entre os imóveis bloqueados está o La Vue, condomínio de alto padrão na Ladeira da Barra, área nobre da capital baiana. Fachin determinou o bloqueio de 20% do empreendimento, bem como o sequestro judicial da unidade 2301.

 

O apartamento esteve no centro do episódio que levou à renúncia de Geddel Vieira Lima do cargo de ministro da Secretaria de Governo, em novembro do ano passado, após conflitos com o então ministro da Cultura, Marcelo Calero, que também pediu demissão na ocasião.

 

Outros seis empreendimentos, todos condomínios de luxo em construção ou já concluídos, tiveram entre 7% e 25% de seus imóveis tornados indisponíveis por Fachin, totalizando R$ 12,7 milhões bloqueados.

 

Na decisão, o ministro escreveu que “ressoam indícios de que os denunciados aplicaram altos valores em investimos no mercado imobiliário, tanto que confirmada a aquisição, perante a empresa Cosbat - Construção e Engenharia, de várias cotas de participação em imóveis em construção no Estado da Bahia”.

 

Fachin atendeu a pedido da procuradora-geral da República, Raquel Dodge, que na semana passada apresentou denúncia por lavagem de dinheiro e associação criminosa contra Geddel, seu irmão, o deputado federal Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA), e sua mãe, Marluce Vieira Lima.

 

O inquérito está relacionado a R$ 51 milhões em dinheiro vivo que foram apreendidos pela Polícia Federal em um apartamento em Salvador. Dois assessores da família Vieira Lima e o empresário Luiz Fernando Machado da Costa, dono da Cosbat, também foram denunciados.

 

Até o momento, a Agência Brasil não obteve retorno das defesas dos acusados. A reportagem tentou contato também com a Cosbat Engenharia, mas não conseguiu ser atendida. Nessa sexta-feira (8/12), é feriado municipal em Salvador, em celebração ao dia de Nossa Senhora da Conceição da Praia, padroeira da Bahia.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade