Publicidade

Correio Braziliense

Dia da Consciência Negra pode virar feriado nacional

Data já é considerada feriado em seis Unidades da Federação; o Distrito Federal, no entanto, não é uma delas


postado em 11/12/2017 21:36 / atualizado em 11/12/2017 21:54

(foto: FCLopes)
(foto: FCLopes)
Embora o Brasil tenha uma população composta por 54% de negros, apenas seis Unidades da Federação consideram feriado o Dia da Consciência Negra — celebrado em 20 de novembro, em alusão à data de morte de Zumbi dos Palmares. O Distrito Federal, por exemplo, não é uma delas. Contudo, esse cenário pode estar prestes a mudar. É que um projeto de lei em tramitação no Senado quer transformar a data em feriado nacional.
 

A proposta é de autoria do senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP). Na justificativa do projeto, ele defende que a celebração do Dia da Consciência Negra como acontece hoje deve ser considerada um avanço. "Mas o estabelecimento desta data como feriado nacional é de grande relevância para que essa parcela da sociedade, que representa mais da metada de nossa população, receba mais um aceno público e oficial de sua importância para o Brasil", completa.

Ainda na proposição, o senador lembra que a data foi incorporada aos calendários escolares em 2003 e só foi oficializada em 2011 — também por meio de projeto de lei —, mas sem ser tratada como feriado nacional. Os estados de Alagoas, Amapá, Amazonas, Mato Grosso do Sul, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul e mais de mil municípios brasileiros consideram a data feriado.

Ao Correio, Randolfe avaliou que uma eventual aprovação do projeto seria um reconhecimento por parte do Estado brasileiro ao povo negro. "Nós somos resultado da mistura do branco, do indígena, do negro... e o Estado reconhecer essa data seria como um tributo contra tudo o que representou a escravidão", pontuou.

Apresentada no último dia 5, a proposta foi encaminhada à Comissão de Educação, Cultura e Esporte, onde tramita em caráter terminativo. Ou seja, pode entrar em vigor sem passar pelo plenário do Senado, caso não haja nenhum requerimento nesse sentido. Randolfe disse esperar que a matéria tramite "com a urgência necessária". Questionado sobre a possibilidade de a lei entrar em vigor já em 2018, foi taxativo: "Trabalharei para isso".

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade