Publicidade

Correio Braziliense

Gleisi Hoffman: "Para prender Lula, vai ter que matar gente"

Em entrevista, presidente nacional do PT disse que desconsidera a hipótese do ex-presidente ser detido no caso que investiga o tríplex, no Guarujá


postado em 16/01/2018 15:29 / atualizado em 16/01/2018 15:38

PT quer registrar a candidatura de Lula à presidência em 15 de agosto, e entrar com todos os recursos possíveis para mantê-lo na disputa(foto: AFP PHOTO / Heuler Andrey )
PT quer registrar a candidatura de Lula à presidência em 15 de agosto, e entrar com todos os recursos possíveis para mantê-lo na disputa (foto: AFP PHOTO / Heuler Andrey )


Considerada uma das maiores defensoras do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a senadora Gleisi Hoffmann (PR) afirmou que desconsidera a hipótese de ele ser preso no julgamento sobre o caso do tríplex, que ocorre no próximo dia 24 em Porto Alegre. “Para prender Lula, vai ter que prender muita gente, mas, mais do que isso, vai ter que matar gente. Aí, vai ter que matar”, afirmou a presidente nacional do PT em entrevista ao portal Poder360.

Segundo Gleisi, se a sentença do juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal em Curitiba, for confirmada pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), significará que “eles (os juízes) desceram para o ‘play’ da política (…) No ‘play’ da política nós vamos jogar (…) E vamos jogar pesado”. A senadora também negou que uma decisão que mantenha a condenação de Lula — de 9 anos e 6 meses — possa tirá-lo da disputa pelo Planalto. “A candidatura vai ser decidida na Justiça Eleitoral”, disse.

Leia as últimas notícias de Política

A prioridade do PT é registrar a candidatura de Lula em 15 de agosto e entrar com todos os recursos possíveis para mantê-lo na disputa. A sigla, que conseguiu apenas R$ 109 mil numa vaquinha on-line organizada para aportar os militantes em favor de Lula em Porto Alegre, quer garantir a foto do ex-presidente nas urnas, mesmo que a candidatura venha a ser impugnada. “Como é que vai cassar o voto de 40, de 50 milhões de brasileiros?”, questiona Gleisi.

A petista reafirma que o partido não tem um plano B para lançar como candidato à Presidência, ainda que existam rumores sobre a possibilidade de lançar o ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad. Mesmo que tenha a condenação confirmada em 2ª Instância, Lula “terá o seu registro de candidatura”.

“Essa condenação não tem nada a ver com a candidatura. A candidatura do Lula vai ser decidida na Justiça Eleitoral. Porque a candidatura só se resolve na Justiça Eleitoral. É em outra esfera. Não tem nada que nos impeça de registrar Lula como candidato no dia 15 de agosto”, afirmou.

A presidente do PT disse aguardar que o ex-presidente Lula seja absolvido do julgamento da próxima quarta-feira. Para ela, “esse seria o único resultado capaz de resgatar a seriedade da Justiça brasileira e mostrar para o Brasil e para o mundo que há isenção no Poder Judiciário”. Caso contrário, a senadora afirma que o processo “vai continuar eivado de vício, de distorções e de problemas”.

Gleisi defende que, na ação em que Lula foi julgado, não há “condições jurídicas, probatórias, processuais” para condená-lo, e menciona o livro “Comentários a Uma Sentença Anunciada – O Processo Lula”, escrito por 122 juristas, segundo ela, de posicionamento apartidário.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade