Publicidade

Correio Braziliense

Cristiane Brasil pede pressa ao STF para assumir Ministério do Trabalho

Deputada federal quer que a ministra Cármen Lúcia avalie "o mais rápido possível" a suspensão da posse no Ministério do Trabalho


postado em 06/02/2018 07:32 / atualizado em 06/02/2018 07:38

Reprodução do vídeo da deputada com quatro amigos em uma lancha: críticas do pai após a repercussão da gravação nas redes sociais (foto: Reprodução)
Reprodução do vídeo da deputada com quatro amigos em uma lancha: críticas do pai após a repercussão da gravação nas redes sociais (foto: Reprodução)
Duas semanas após a presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, suspender a posse da deputada federal Cristiane Brasil (PTB-RJ) no Ministério do Trabalho, a parlamentar quer que o Judiciário trate o caso com celeridade. Em nota divulgada ontem, Cristiane pede, “respeitosamente”, à ministra “que julgue o mais rápido possível essa questão”, ainda que “baseada na existência de duas ações trabalhistas” que respondeu no passado. O ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, afirmou que o presidente Michel Temer não vai recuar da indicação.

Cristiane afirma ainda ser alvo de uma “campanha difamatória” para não assumir a vaga de ministra. Também disse que não deve mais nada à Justiça Trabalhista. “Estou sendo julgada política e não juridicamente. Tenho a ficha limpa. Mas, infelizmente, o meu julgamento superou esta esfera. Preciso que o STF decida essa questão, para que eu possa seguir minha vida, seja como ministra ou deputada federal. Seguirei não poupando esforços para provar que não cometi nenhuma ilicitude.”

Carlos Marun afirmou que o Planalto vai manter a indicação da deputada. Segundo ele, “não há a intenção de pedir que o partido sugira outro nome para assumir o ministério”. Marun acredita que não há nada que efetivamente prejudique a imagem da parlamentar. “O fato de alguém ter perdido uma ação trabalhista não significa que essa pessoa seja imoral.”

A parlamentar perdeu seis dos setes recursos apresentados à Justiça para conseguir ser empossada. O prazo para assumir o ministério terminaria no último sábado, 30 dias após a publicação da nomeação no Diário Oficial da União. O Planalto, no entanto, avalia que, com a decisão do Supremo Tribunal Federal, “entende-se, juridicamente, que o prazo também deve permanecer suspenso”.

Polêmicas

Além de todas as dificuldades que a deputada enfrenta na Justiça, diversas polêmicas fizeram com que Cristiane Brasil fosse alvo de críticas — inclusive do pai, Roberto Jefferson. Uma delas foi o vídeo publicado em uma lancha no Rio de Janeiro, no período do recesso parlamentar, em que a deputada aparece com quatro amigos, todos em trajes de banho, negando as acusações sobre dívidas trabalhistas. A deputada diz que “todo mundo pode pedir qualquer coisa abstrata (na Justiça)”. Também “jurou” que não deve nada e que vai provar isso “em breve”. “Eu juro para vocês que eu não achava que eu tinha nada para dever para essas duas pessoas que entraram contra mim”. No último domingo, reportagem do Fantástico revelou gravações em que Cristiane se reúne com funcionários da secretaria que comandava no Rio de Janeiro para pressionar servidores a pedirem votos para sua candidatura como deputada federal, em 2014.
 
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade