Publicidade

Correio Braziliense

Padilha diz não haver mal entendido entre a defesa de Temer e Barroso

Barroso determinou a abertura de uma investigação para apurar o vazamento de dados sigilosos sobre o inquérito que apura irregularidades na edição do decreto dos Portos


postado em 07/03/2018 12:23

'Acho que são coisas mais ou menos naturais', considerou Padilha(foto: Evaristo Sa/AFP)
'Acho que são coisas mais ou menos naturais', considerou Padilha (foto: Evaristo Sa/AFP)
 
O ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, disse não ver "nenhum mal entendido" entre o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso e a defesa do presidente Michel Temer. Barroso determinou a abertura de uma investigação para apurar o vazamento de dados sigilosos sobre o inquérito que apura irregularidades na edição do decreto dos Portos, assinado por Temer em maio do ano passado, que teriam sido conseguidos pela defesa do presidente.

"Acho que são coisas mais ou menos naturais", considerou Padilha, nesta quarta-feira (7/3), ao chegar no anexo do Palácio do Planalto, para participar de evento promovido pelo Banco Mundial. "Tem, das partes, manifestação sobre as decisões judiciais. Às vezes, nos autos, recorrendo, e, às vezes, uma manifestação política, que é o caso do que os advogados do presidente têm feito", disse o ministro.

Na terça-feira, Barroso, que é relator do inquérito do decreto dos Portos, afirmou que a defesa de Temer teve acesso a números de autuação "absolutamente sigilosos" sobre procedimentos da investigação. As informações estavam em uma petição da defesa de Temer, que pediu acesso à decisão do ministro que autoriza a quebra de sigilo bancário do presidente. 

De acordo com o Palácio do Planalto, os números citados por Barroso foram obtidos em consulta ao Diário de Justiça Eletrônico, disponível no site do STF. "Por se tratar de informação pública, não se trata de hipótese de vazamento de informações", disse o Planalto.

"A minha versão naturalmente é a versão dos advogados do presidente Michel Temer, que eles dizem que foi o procedimento adotado pela defesa do presidente", afirmou Padilha. Segundo o Planalto, a defesa do presidente detalhará nesta quarta-feira os esclarecimentos formais ao STF.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade