Publicidade

Correio Braziliense

Em protesto na Esplanada, Gleisi Hoffmann diz que Lula está "bem e sereno"

Senadora e presidente nacional do PT esteve presente no ato a favor do ex-presidente em frente ao Congresso. Outros parlamentares também compareceram ao local


postado em 04/04/2018 16:58 / atualizado em 04/04/2018 17:29

(foto: Flávia Maia/CB/D.A Press)
(foto: Flávia Maia/CB/D.A Press)


A senadora e atual presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann (PR), esteve presente na Esplanada dos Ministérios nesta quarta-feira (4/4) para protestar a favor do habeas corpus do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Segundo ela, o correligionário está bem, sereno e com a  "consciência tranquila dos inocentes", afirmou.
 
Segundo a petista, a caravana do partido deve continuar pelo país, independente da decisão do Supremo Tribunal Federal (STF). "Mas estamos tranquilos que os ministros vão cumprir a Constituição que diz que só pode ser preso após o trânsito em julgado", enfatizou.
 
Outros parlamentares também marcaram presença no ato pró-Lula. Em seu discurso, a deputada Erika Kokay (PT-DF) relembrou uma fala do próprio ex-presidente que disse "se quebrarem minhas pernas, eu lutarei com as pernas de vocês". "Aqui estão suas pernas", afirmou Erika, dirigindo-se ao público.
 
 
 
Já o deputado Paulo Pimenta (PT-RS) contou que o partido não trabalha com a hipótese de uma derrota no STF. "Minha expectativa é que seja respeitada a Constituição. Que o Supremo Tribunal Federal não permita que pressões de qualquer natureza maculem a autonomia, a soberania da Constituinte de 1988 que definiu de maneira clara que no Brasil qualquer pessoa é inocente. Ninguém pode ser considerado culpado até que exista uma sentença transitado em julgado. Qualquer outra interpretação diferente dessa é absolutamente inconstitucional", opinou.
 
 
 
No lado pró-Lula, os manifestantes entoam cantos como "fascistas, golpistas, machistas, não passarão". Eles também lembram as mortes de Martin Luther King (que completou 50 anos nessa terça-feira), Malcolm X, Marielle Franco e Anderson, além de diversas outras chacinas e assassinatos dentro e fora do país para dizerem que não confiam na Justiça.
 
Os atos favoráveis e contrários à concessão do habeas corpus para que o ex-presidente Lula possa recorrer em liberdade da condenação a 12 anos e um mês de prisão começaram por volta das 14h, no gramado em frente ao Congresso Nacional. Os dois grupos estão separados por grades. Segundo a Polícia Militar, há mil pessoas em cada um dos lados do protesto. Até o momento, houve apenas um episódio de tensão entre os grupos. Mas foi "rapidamente contido", de acordo com a corporação.
 
Ver galeria . 83 Fotos Luís Nova/Esp. CB/D.A Press
(foto: Luís Nova/Esp. CB/D.A Press )
  
 
A maranhense Maria dos Anjos aproveitou a manifestação para vender lembranças de Brasília. Por causa do julgamento histórico do habeas corpus do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva, ela apostou em miniaturas da Estátua da Justiça que está em frente ao STF. 
 
Entretanto, em quase três horas que está com a banquinha armada, não conseguiu vender nenhuma unidade da miniatura da estátua. “Ninguém acredita na Justiça. Não querem lembrança de Brasília porque dizem que aqui só tem corrupto”, lamenta.
 
Instalada no lado petista, ela disse que escolheu a parte vermelha porque gosta do Lula, mesmo que as vendas não estejam boas. “Ele tem o meu voto”, contou. Ela espera que as vendas melhorem após o fim do julgamento.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade